Wilson Lima o descaso do seu governo matou Yasmim e seu bebê

Mais um caso de omissão que termina em morte. Lamentavelmente mãe e bebê morrem após horas buscando atendimento nos hospitais público do Amazonas

Manaus – Mais um caso de omissão que termina em morte. Lamentavelmente mãe e bebê morrem após horas buscando atendimento nos hospitais público do Amazonas. A família denunciou desde o início a negligência e descaso que estava acontecendo e nesta segunda-feira (21), recebemos a notícia do falecimento de Yasmim Andrômeda de 30 anos, que estava grávida de sete meses de uma menina e estava com quadro positivo para Covid-19. Mas, não foi a doença que matou a jovem mãe, foi a péssima saúde pública do Amazonas.

Demora

A amazonense, Yasmim Andrômeda de 30 anos estava na sua segunda gestação, no sétimo mês e aguardava ansiosamente o nascimento de uma menina. Em Manaus, ela procurou uma maternidade pública na noite da última quinta-feira (17), às 22h. Por causa da longa demora no atendimento, a mãe da gestante, Kátia Ventura, entrou em contato por volta das 7h de sexta-feira (18), com a equipe do programa AMAZONAS DIÁRIO para denunciar o descaso na saúde pública. A Yasmim estava sentindo muitas dores, algo estava errado e não conseguia atendimento em nenhuma unidade de saúde que a família percorreu nas últimas horas. O caso da Yasmim foi denunciado logo em seguida.

Descaso

Mais tarde, por volta das 21h, a Yasmim que conseguiu atendimento na Maternidade Ana Braga, estava internada em uma enfermaria comum, mesmo estando infectada por Covid-19. Foi tentada transferência da gestante para o Hospital e Pronto-Socorro João Lúcio que não foi possível por falta de ambulância. “Minha filha vai morrer, ninguém faz nada”, disse Kátia chorando. Depois de sofrer com muitas dores, finalmente foi submetida a uma cirurgia de emergência após ser transferida para o Hospital e Pronto-Socorro 28 de Agosto. O caso dela era gravíssimo. Uma úlcera rompeu e o líquido espalhou pelo corpo, atingindo, o bebê com 7 meses em gestação, o cérebro e sangue. A bebê que estava viva, não sobreviveu e faleceu. Demorou muito o socorro.

Luta pela Vida

“Minha filha está muito mal. Tem que ter Justiça nessa país”, lamentou a mãe da gestante que é profissional da saúde e acompanhou todo o descaso. Yasmim, após lutar muito pela vida, não sobreviveu e morreu no final da tarde deste domingo (20). A jovem mãe, deixou um filho de 7 anos de idade.

Justiça

O velório de Yasmim foi realizado nesta segunda-feira (21). A mãe, Kátia Ventura, busca por justiça pela negligência médica no atendimento da filha, que morreu e deixou uma criança. “Eu vou mover mundos e fundos para o que senhor (médico) seja penalizado por deixar que vidas sejam ceifadas, mãe fiquem na condição que estou hoje e filhos como o meu netinho, fiquem sem mãe. Eu tenho certeza que a sociedade amazonense vão nos apoiar”, disse a mãe de Yasmim que busca por justiça.

Anúncio