Wilson Lima vai pagar mais de R$ 2 bilhões para empresas cuidarem de criminosos em presídios

O Governo do Amazonas conseguiu gastar mais de R$ 840 milhões apenas no ano passado em contrato com a empresa Umanizzare Gestão Prisional

Manaus – Se a situação não fosse trágica, poderia ser considerada piada. O Governo do Amazonas conseguiu gastar mais de R$ 840 milhões apenas no ano passado em contrato com a empresa Umanizzare Gestão Prisional que realizou serviços de apoio ao sistema penitenciário do Estado. Insistindo na piada sem graça, ainda em 2020, o governo de Wilson Lima fez uma concorrência pública para prestação de serviço no sistema prisional que foi dividida entre três empresas que juntas vão receber em 60 meses mais de R$ 2 bilhões.

Sistema penitenciário

De acordo com os contratos passados, o valor gasto com o contrato da Umanizzare Gestão Prisional em 2017 foi em torno de R$ 190 milhões. Em um passe de mágica ou apenas de gestão, o gasto público com os serviços subiu quase cinco vezes. Inacreditável, o Governo de Wilson Lima pagou em 2020 mais de R$ 840 milhões para uma única empresa. Como explicar esse gasto?

Bilionário

Mais não para por aí. O levantamento realizado por esta coluna, mostra que durante todos os anos de contrato com o Governo do Amazonas, a empresa Umanizzare Gestão Prisional abocanhou o total de R$ 2.128.151,066, isso mesmo, mais de dois bilhões de reais. Segundo investigação realizada pelo Ministério Público do Amazonas (MPE-AM) nos contratos do Estado com a empresa, concluiu que o valor cobrado por cada preso chegava a quase R$ 5 mil.

Aumento

Nas gestões anteriores, era gasto em média R$ 190 a R$ 220 milhões por ano no contrato com a empresa para a realização de serviços no sistema prisional. Mas, no primeiro ano de gestão de Wilson Lima, foram pagos para a Umanizzare mais de R$ 574 milhões, já em 2020 foram gastos mais de R$ 840 milhões. A população carcerária nos presídios do Estado não subiu quatro vezes para acompanhar esse crescimento absurdo de gastos. O que aconteceu Wilson?

Novo contrato

No ano passado, o Governo do Amazonas por meio do Centro de Serviços Compartilhados (CSC) abriu a Concorrência n° 02/2020 para contratação de empresa especializada para prestação de serviços de apoio às atividades administrativas, técnicas e operacionais no Sistema Penitenciário do Estado do Amazonas. O contrato com período de 1° de agosto de 2020 a 1° de agosto de 2025 foi dividido entre três empresas, RH Multi Serviços Administrativos Ltda, Reviver Administração Prisional e Synergye Tecnologia da Informação Ltda que juntas vão receber do Estado mais de R$ 2 bilhões.

Prioridades

Parece piada do governador Wilson Lima em gastar o valor de R$ 2,4 mil com cada preso com o novo contrato e apenas R$ 62 por aluno da rede estadual de ensino. Para cerca de 100 mil famílias em situação de vulnerabilidade o Estado concedeu três parcelas de apenas R$ 200. Como explicar para a população essa prioridade do Governo do Amazonas? Podemos supor que o gasto investido em cada preso reflete no serviço empregado dentro das unidades prisionais, mas não é essa a realidade. O que acompanhamos são diversas rebeliões de presos pedindo melhorias dentro dos presídios e familiares relatando a falta de água, comida de qualidade, entre outros.

Anúncio