Criminalidade: é preciso falar

A perda do controle social impõe ao poder público um estado de derrota e torna a sociedade refém do dia seguinte manchado de sangue, da forma mais brutal

Manaus – Vamos falar sobre criminalidade, mas também as saídas para combater esse mal? A cidade de Manaus tem vivido o aumento dos indicadores do tráfico de drogas e da violência generalizada, que destroem famílias e implantam o medo nas pessoas. A perda do controle social impõe ao poder público um estado de derrota e torna a sociedade refém do dia seguinte manchado de sangue, da forma mais brutal.

A grande lacuna que colabora com o crescimento desenfreado desse problema está na ausência de oportunidades aos nossos jovens, no campo da Educação, do Esporte e do mercado de trabalho. Milhares deles, nas mais diversas faixas etárias, estão sendo recrutados pelo crime organizado com a promessa de dinheiro e do poder da ostentação, longe, muito longe do lado do bem.

Outra lacuna está no encolhimento da força policial do Amazonas. Enquanto o volume da população cresce ano a ano, como mostram as estatísticas, a Polícia Militar, por exemplo, só diminuiu. O Estado que já chegou a ter, aproximadamente, 12 mil homens e mulheres na PM, hoje se encontra com cerca de 8 mil para garantir a segurança de mais de 2,2 milhões de cidadãos só em Manaus.

Além de fortalecer o trabalho da nossa Polícia Militar, o poder público amazonense, em todas as suas esferas precisa pensar, colocar no papel e realizar efetivamente um plano de juventude. Garantir oportunidades na educação e no esporte, por exemplo, são estratégias mais que necessárias para trazer os jovens para o lado do bem.

*Deputado estadual da 15ª a 17ª legislatura, governador do Amazonas em 2017 e presidente estadual do partido Avante no Amazonas

Anúncio