Manaus que o povo quer

Manaus deveria ser a cidade mais arborizada do Brasil, com áreas verdes, parques, praças com plantas e flores, espaços para lazer, passeios, água corrente, pássaros, vida

Manaus – A capital do Estado é a maior cidade da Amazônia. Cidade que continua crescendo. Não tem jeito. Todo dia tem mais pessoas. É o grande centro urbano. Um desafio para os administradores garantirem bons serviços públicos e qualidade de vida à população.

Manaus não teve planejamento. Muitos bairros surgiram de ocupações. E ainda continua assim. Atualmente não tem nenhuma política de moradia. Tem 129 mil famílias sem casa, segundo o IBGE. E muitos morando de aluguel, desempregados, e outros vivendo em áreas de risco. O povo quer moradia.

Manaus deveria ser a cidade mais arborizada do Brasil, com áreas verdes, parques, praças com plantas e flores, espaços para lazer, passeios, água corrente, pássaros, vida. Todo mundo gosta de uma praça bem arrumada. O povo quer bons e seguros lugares para passear com os filhos, família e amigos.

É direito da população ter as ruas em boas condições, sem buracos, drenagem de águas de chuvas e bueiros com tampas, seguras e eficientes. Ninguém quer que falte água e energia no seu bairro. E tem razão. São essenciais para a comunidade.

Apesar de cidade grande, a sétima maior capital, Manaus ainda não tem um sistema de transporte coletivo de qualidade e seguro. Os ônibus estão caindo aos pedaços e a frota está envelhecida e reduzida. Por que o prefeito não cuida disso de verdade?

Quase metade da cidade não tem atenção básica na saúde e ainda tem um terço das escolas municipais em prédios alugados. Sem condições. Os estudantes merecem um lugar melhor, com quadra, biblioteca, auditório, psicólogos, assistentes sociais e merenda decente. E escola segura.

Tem muita gente desempregada. Mas por que não aproveitar mais o turismo? Está na hora de ter um aquário na cidade, um zoológico de verdade, mais lugares para conhecer as plantas, o artesanato dos milhares de indígenas em Manaus.

A Manaus que queremos será discutida no seminário que estarei realizando, nesta sexta-feira (8), na Ufam. Vamos lá.

*Deputado federal (PT) e economista

Anúncio