Violência em Manaus

Esta semana, em diversos bairros, houve grande queima de fogos de artifícios e rajadas de tiros, noticiados pela imprensa, para comemorar ações de facções criminosas

Manaus – Cada dia aumenta mais a violência na capital, deixando a população assustada e com medo. O mês de janeiro de 2020 foi o mês mais violento dos últimos cinco anos. Foram 117 mortes, diante de 69 registradas em 2019. Um aumento de 70% no número de mortes.

A maior parte das mortes foi por armas de fogo. Foram 109 homens e oito mulheres e a grande maioria jovens. Toda essa violência foi notícia no Jornal Nacional. O Governo precisa garantir segurança para a população. Não podemos achar normal mais de 100 mortes em apenas um mês na cidade.

Esta semana, em diversos bairros, houve grande queima de fogos de artifícios e rajadas de tiros, noticiados pela imprensa, para comemorar ações de facções criminosas. A ação gerou pânico e temor entre a população.

O fato de grupos criminosos se exibirem, mostrando força e zombando da segurança pública do Estado, mostra que a situação está em descontrole. Mas acredito que pode melhorar a segurança pública.

Defendo que tenha investimento de verdade na estrutura das polícias, valorização dos bons policiais, estrutura para patrulhar bairros e cidades e investigar crimes. Mas também dar oportunidades para os jovens. Recuperar quem está nas drogas e presos com trabalho e estudos também deve ser prioridade dos governantes.

É a segurança preventiva e cidadã, onde todos podem fazer a sua parte, inclusive, a prefeitura. Tem que melhorar os bairros, com ruas iluminadas, praças cuidadas, esporte, cultura e guarda municipal presente. É possível fazer, realizando, inclusive, debate amplo entre todos os governantes e a sociedade, para juntos encontrar soluções ao problema.

Consegui aprovar emendas com recursos para ajudar a Fazenda Esperança e o Desafio Jovem, que tratam de dependentes químicos. Vai ajudar muita gente. E também consegui R$ 1 milhão para equipar todos os nove conselhos tutelares de Manaus, para ajudar a enfrentar a violência que atinge as crianças.

Vou continuar lutando pela segurança. É um direito do povo.