Educação na era digital

A tecnologia não tem mais nada a ver com computadores, tem a ver com a vida das pessoas

Quem não se recorda daqueles computadores gigantes, conhecidos como mainframe? Ocupava praticamente uma sala inteira e foi onde vivenciamos toda a evolução do computar.

Vimos a mudança dos grandes computadores mudarem-se das enormes salas, para os gabinetes, depois para as mesas e, agora para palma da mão. Atualmente, vivemos em um mundo globalizado onde as tecnologias cada vez mais se popularizam no cotidiano das pessoas. Porém, com a chegada da pandemia do Covid-19, impôs as instituições de ensino se adaptarem para as novas adequações provocando mudanças nas metodologias de ensino, tais como a utilização das ferramentas digitais. Estas tornaram-se itens obrigatórios para o dia- a- dia dos professores e alunos. Vivemos na era digital, pois cada vez mais as tecnologias estão presentes em todos os espaços, principalmente os educativos.

A importância da inclusão digital na Educação

Criar metodologias que possibilitem a inclusão digital é dever do professor não há como fechar mais os olhos para a tecnologia. Uma escola moderna precisa propor novos métodos para seus professores, treiná-los e dessa forma possibilitando uma nova construção para produção do ensino. Jon Bergmann 2010, autor do conceito da sala de aula investida, explica “a importância de se conseguir inserir essas tecnologias no contexto escolar, fazendo com que o professor consiga unir conhecimento, informação e, consequentemente, promover novas estratégias metodológicas mediadas pelos usos das tecnologias digitais como a intenção de favorecer a inclusão digital na sala de aula”.

A tecnologia beneficia também os alunos com necessidades especiais, criando novas maneiras de inclusão. Como exemplo tem-se o leitor de telas que ajuda alunos com deficiência visual ou o aplicativo suíte VLibras que é público, criado para alunos surdos. Além disso, atualmente existem conteúdos indispensáveis na internet para o desenvolvimento dos alunos e inclusão educacional.

Por exemplo, no Centro Universitário Fametro, adotamos plataforma acessível para os professores elaborarem as aulas, além de realização de fóruns e webconferências. Na plataforma, o professor tem liberdade, por exemplo, de trabalhar com games, realizar lives, dentre outras atividades que complementarão os assuntos debatidos em sala de aula. Os arquivos ficam armazenados na própria ferramenta, podendo ser acessados sempre que necessário.

A inclusão digital é necessária nas escolas e não podemos ignorar a importância da formação de professores neste processo. Requer qualificação e principalmente pensar em todos os benefícios proporcionados pela tecnologia, pois a evolução já existe, e agora depende de você em querer fazer à inclusão digital.

*Reitora do Centro Universitário Fametro, empresária, advogada e doutorando em Direito pela PUC/Campinas

Anúncio