Saúde, o que esperar em 2022

Entre planejar e executar existe um espaço que muitas vezes é preenchido pela procrastinação

Ano novo, vida nova. É sempre assim. Todo mundo faz uma lista de resoluções e metas para seguir durante a nova jornada que inicia. Dentre estas está a mudança dos velhos hábitos, como o sedentarismo. Segundo a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), a atividade física regular ajuda a reduzir os sintomas de depressão e ansiedade, diminuir o declínio cognitivo e pode trazer melhorias para a memória e a saúde do cérebro o que por si só já vale o esforço.

Todo a virada de ano a mesma coisa. Paramos para refletir e enxergamos as mudanças necessárias para seguir a diante. Porém, entre planejar e executar existe um espaço que muitas vezes é preenchido pela procrastinação, que é o nome dado a protelação do ato. E isso é perigoso, porque as mudanças necessárias vão sendo deixadas de lado em detrimento de outros interesses ou prioridades.

No âmbito da saúde, com a pandemia, o ano de 2021 foi mais um ano histórico e emblemático, os fatos vividos serão lembrados por muito tempo e sem dúvida, farão parte dos textos de livros didáticos no futuro. Temos muito a refletir sobre este ano que se encerrou e que lições podemos tomar como obrigatórias para seguirmos adiante.

Dentre elas, a principal: a pandemia não acabou. Por mais que exista uma certa sensação de normalidade, ela está longe de finalizar. Por isso, devem ser mantidos todos os cuidados. O outro ponto é que somos extremamente frágeis. A pandemia mostrou o quanto desconhecemos sobre nossa saúde. Milhares de pessoas se descobriram com comorbidades como diabetes e hipertensão, somente após à infecção pelo vírus, seja em internação hospitalar ou em investigação de urgência. E por último, a importância de hábitos saudáveis. Não importa como foi sua relação consigo durante todos os anos anteriores, novos hábitos devem ser iniciados agora para que se tenha oportunidade de desfrutar de saúde plena.

Todo ano a mesma coisa. Fazemos reflexões sobre as mudanças necessárias. Nesse período descobrimos o quanto somos frágeis e o quanto nossa saúde requer cuidados, hábitos saudáveis devem ser prioridade e devemos estar atentos a qualquer sinal de anormalidade. A pandemia pode não ter acabado, mais nossa capacidade seguir a diante se mantem intacta. Que 2022 nos traga avanços e esperança para que tenhamos todos bem estar e qualidade de vida.

Anúncio