Impeachment derrubado

Enquanto isso, o governador está entrando para a história do Amazonas da pior forma. Como o pior governo, a pior avaliação e que não goza mais da confiança da população

Manaus – Nesta quarta-feira (5) foram abertos os trabalhos dos deputados na Assembleia Legislativa e para a minha surpresa e tristeza a Mesa Diretora arquivou o impeachment do governador Wilson Lima e do vice Carlos Almeida.

Mais surpresa ainda foi a forma que o documento foi arquivado. Nem apreciado ele foi. No meu primeiro discurso do ano, cobrei a Casa Legislativa para que desse a oportunidade para que todos os deputados analisassem o documento. Meu apelo não foi atendido. De imediato, o presidente da ALE, Josué Neto, ordenou à Mesa Diretora que destinasse esse fim a qual descrevo.

Quando fiz o documento, em conjunto com o deputado Dermilson Chagas, sabia que encontraríamos amplas dificuldades para apreciação. Mas pelo bem da democracia e acreditando em uma legislatura comprometida com o povo, acreditava no amplo debate com a sociedade.

Não me espanto com o arquivamento, mas essa orquestração do governo com o consentimento da Assembleia é triste. A Assembleia voltou na terça-feira (4), e um dia depois já arquiva o pedido. Se o processo não foi para a procuradoria, e em menos de 48h a procuradoria se posiciona e derruba item por item, eu fico assustado com essa celeridade. Isso é uma afronta e desrespeito à sociedade. Nos meus vários discursos eu pedi que a sociedade, o povo do Amazonas, fosse consultado. Pois assim como o povo tirou uma presidente da república o povo pode tirar um governador.

Continuarei na luta de sempre; de defender o povo. Faço um desafio à ALE. A Casa precisa ouvir a população, fazer uma pesquisa isenta. O mandato do governador foi eleito de forma legítima, mas um impeachment é legitimo.

Enquanto isso, o governador está entrando para a história do Amazonas da pior forma. Como o pior governo, a pior avaliação e que não goza mais da confiança da população. Tudo isso apenas no seu primeiro ano. Nosso Estado não aguenta mais três anos com esse descontrole nos gastos.

*Deputado estadual, economista, mestre em Sustentabilidade e Meio Ambiente e doutorando em Administração

Anúncio