Adolescente de 13 anos morre após ter sido agredido por colegas em escola

Pai da vítima afirmou que filho sofria bullying e acredita que a morte aconteceu em decorrência das agressões

São Paulo – Carlos Teixeira, 13, morreu uma semana depois de dois colegas pularem sobre as costas dele dentro de uma escola estadual em Praia Grande, no litoral de São Paulo. O pai do adolescente Teixeira afirmou que o filho era saudável e acredita que a morte aconteceu em decorrência da agressão sofrida. O homem disse ainda que o filho sofria bullying na escola.

(Foto: Reprodução)

De acordo com informações, os dois meninos que teriam pulado sobre Carlos estudavam com ele no 6º ano do Ensino Fundamental da Escola Estadual Professor Júlio Pardo Couto. A agressão aconteceu no último dia 9 de abril e, segundo o pai, no mesmo dia o adolescente reclamou de dores nas costas e falta de ar. Ele levou o garoto até uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) três vezes durante a semana. Em todas elas, o paciente foi medicado e mandado para casa.

Antes de morrer, o menino contou ao paque que estava de costas para a dupla conversando com um outro colega quando os adolescentes teriam pulado em cima dele. O pai afirmou que o filho sofria bullying e, inclusive, já havia sido agredido por outros alunos anteriormente.

O caso foi registrado na Polícia Civil e a causa da morte ainda está sendo investigada

Anúncio