Bolsonaro reafirma que vacinação contra Covid não será obrigatória

Segundo ele, o uso das vacinas é “só emergencial” e aconselhou os brasileiros a lerem a bula dos imunizantes para saberem o que estão tomando

Brasília – O presidente Jair Bolsonaro reafirmou, na manhã desta sexta-feira (22), que a vacinação contra a Covid-19 não será obrigatória.

(Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

Segundo ele, o uso das vacinas é “só emergencial” e aconselhou os brasileiros a lerem a bula (no caso, os contratos) dos imunizantes para saberem o que estão tomando. O presidente vem reclamando que os laboratórios querem se eximir dos possíveis efeitos colaterais das doses.

Leia mais: Governadores concordam em doar 5% das vacinas para o Amazonas

Bolsonaro já declarou que não tomará nenhuma dose pelo fato de já ter sido infectado e, portanto, nas suas palavras, imunizado. Não há comprovação científica para a tese, uma vez que já foram registrados casos de reinfeccção, inclusive no Brasil.

A fala do presidente à imprensa ocorreu na saída do Palácio do Alvorada, após meses sem dar declarações a jornalistas em frente à sua residência oficial.

Antes, ofereceu um café aos ruralistas. Bolsonaro não deu detalhes do encontro, mas disse  trabalhar em conjunto ao setor, com apoio do Legislativo. “Nós podemos nos privar de muita coisa, mas de alimentação, não”, disse, sobre os produtores.

Anúncio