“Brancos” x “Marotos”: briga interna de facção resulta em série de mortes; VEJA

Vídeos mostram as execuções de um suposto líder da facção e de outros membros da organização

Piauí – Uma série de assassinatos foi registrada neste fim de semana na cidade de Avelino Lopes, no Piauí, após a morte de um líder da facção criminosa do Primeiro Comando da Capital (PCC). A Polícia Civil do Estado deu mais detalhes sobre a relação das mortes com a briga interna entre memrbos da facção.

Assassinatos registrados no Piauí (Foto: Reprodução)

Segundo o delegado Eduardo Aquino, tudo começou por causa de uma morte em São Paulo de um dos líderes do PCC, conhecido como Fleques Pereira Lacerda, em dezembro de 2023. As informações apontam que a execução foi facilitada com o auxílio de um homem da mesma organização criminosa com atuação no Sul do Estado.

A polícia explicou que existe um confilto interno entre dois grupos dentro da facção que foram identificados como Brancos x Marotos. Com a morte de Fleque que pertencia aos “brancos” iniciou uma disputa por domínio de pontos de drogas, briga que, segundo a polícia, está acontecendo em todo o País.

Em retaliação à morte de Fleques, os “brancos” decidiram armar uma emboscada para matar o suposto informante da sua localização. Ainda segundo as investigações, o criminoso Erinelton Pereira de Sousa, o Netinho,  foi quem passou as informações para a morte de Flex.

Em seguida, Netinho foi assassinado junto com um outro homem na cidade de São Raimundo Nonato. Os dois pertenciam ao grupo dos “marotos”. Após isso, as mortes na cidade de Avelino Lopes aconteceram porque as vítimas teriam facilitado os crimes em São Raimundo Nonato.

“Ele [Netinho] foi identificado dentro da facção como a pessoa que teria entregado o Fleque em São Paulo, lembrando que todos eles eram amigos e trabalhavam juntos no tráfico de drogas. Quando os Brancos identificaram que Netinho era o traidor, eles resolveram matá-lo e atraíram o Netinho junto com o Mauro para São Raimundo Nonato sob o pretexto dele adquirir uma arma”, explicou o delegado.

O delegado Eduardo Aquino também explicou que São Raimundo Nonato e Avelino Lopes são os locais por onde a facção PCC entrou no Estado. O domínio é dividido em duas famílias: Os Brancos, chefiados por ‘Velhinho’, que dominam as regiões em Morro Cabeça do Tempo e Curimatá e os Marotos, liderados por Flex, que dominam a Avelino Lopes e São Raimundo Nonato.

A investigação da polícia apontou que cinco integrantes do PCC envolvidos homicídio de Netinho e Mauro, até o momento, três deles foram presos. Os outros dois estão foragidos.  A polícia explica que a briga interna entre os membros do PCC seria pela disputa por pontos de vendas de entorpecentes.

Em vingança pelas mortes de Netinho e Mauro, o grupo dos “marotos” decidiu matar um integrante do grupo rival. A vítima escolhida foi Emerson de Sousa Santos, mais conhecido como “Paçoca”. Ele foi morto na porta de sua casa, na tarde da última sexta-feira (16), em Avelino Lopes.

blank

Emerson de Sousa Santos, mais conhecido como “Paçoca” (Foto: Reprodução)

Imagens de câmeras de segurança registraram o crime. O vídeo mostra que dois homens em uma moto chegam e atiram contra “Pacoça” que está sentado em uma calçada.

Outros dois assassinatos ocorridos no fim de semana na mesma cidade também teriam relação com a guerra e estão sendo investigados. O vídeo mostra  três homens etão dentro de um estabelcimento quando um pistoleiro surge e executa duas das vítimas.

Veja vídeos:

Anúncio