Cerca de 227 milhões de brasileiros tiveram seus dados expostos

Vazamento foi realizado por hackers e a suspeita é de que os dados foram capturados pelos aplicativos de banco

São Paulo – O mundo está se tornando cada vez mais rápido e cibernético. As informações, solicitações, transferências bancárias e até mesmo simples conversas são feitas através de algum aplicativo. Atualmente quase ninguém mais consegue sobreviver sem um celular, computador ou notebook que não estejam ligados à internet.

Cerca de 227 milhões de brasileiros tiveram seus dados expostos. (Foto: @rawpixel.com / freepik)

Isso, com certeza traz suas vantagens. É indiscutível. Contudo, também traz riscos. Pessoas mal intencionadas podem “invadir” o sistema e capturar todos os seus dados, senhas, fotos e documentos. São os chamados hackers.

Agora, cerca de 227 milhões de brasileiros foram vítimas de um vazamento de informações onde 13 mil documentos foram expostos na internet. As informações foram divulgadas pela empresa de cibersegurança Syhunt, que emitiu um relatório onde detalha o ocorrido. 

De acordo com o relatório, fotos dos documentos e dados pessoais foram comercializados por dois cibercriminosos, que usam codinomes, em um fórum online, junto a uma amostra grátis com informações de 2,5 milhões de vítimas.

A intenção dos golpistas é vender dois pacotes. Em um deles contém 13 mil fotos e documentos (incluindo números de cartão de crédito) e o outro contém nomes das mães de 227 milhões de brasileiros.

Origem do vazamento

Ainda não há total certeza de onde os golpistas retiraram as fotos e as informações. As investigações continuam em andamento, mas a Syhunt suspeita que estavam em bancos de dados de algum aplicativo no qual era exigida foto com documento para cadastro inicial.

Este tipo de serviço normalmente é utilizado em bancos ou em  emissões de certificados digitais e validações remotas. Contudo, ainda não é possível precisar o local do vazamento.

Além dos nomes das mães, o pacote de 37,7 GB inclui nome completo, data de nascimento, gênero, a informação se a pessoa está viva ou não e o endereço residencial completo. A venda dos documentos foi fixada em US$300, ou seja, cerca de R$1.534 na cotação atual. 

Como se prevenir destes golpes?

Mas como você deve proceder para não cair nas mãos de golpistas? Nada muito complicado. Uma das principais precauções é evitar clicar em links suspeitos em sua caixa de email ou aplicativos de mensagem. Desconfie sempre.

É necessário ficar atento a contatos estranhos que surgem em suas redes sociais e no WhatsApp, ou mesmo contatos conhecidos que tiverem atitudes suspeitas, como solicitação de pagamentos ou transferências bancárias.

Também irá ajudar muito, ativar a autenticação em dois fatores de todas as contas que oferecem esse recurso. Sempre mantenha atualizado um software de proteção no computador ou smartphone. 

Pequenas atitudes como estas irão livrá-lo de muita dor de cabeça no futuro e também não ser alvo de pessoas mal intencionadas.

Colaboração: Jornal Contábil

Anúncio