Confira o que acontecerá com Thiago Brennand quando desembarcar no Brasil

A expectativa da Polícia Civil de São Paulo é que o empresário Thiago Brennand seja extraditado pela PF até o fim da semana

São Paulo – Thiago Brennand, preso nos Emirados Árabes Unidos, na segunda-feira (17), deve ser extraditado e chegar ao Brasil até o fim da semana, segundo expectativa da Polícia Civil de São Paulo. Com cinco pedidos de prisão preventiva em aberto, o empresário é acusado de estupro, sequestro, cárcere privado, sequestro, agressão física e ameaça.

(Foto: Reprodução – Record TV)

À Record TV, a delegada Ivalda Aleixo, diretora do Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP), explica os procedimentos que serão cumpridos quando o empresário desembarcar em solo paulista.

Após a autorização da extradição na segunda-feira, Brennand foi detido em um hotel de Abu Dhabi por uma equipe da Interpol e levado a uma unidade prisional do país. O governo federal brasileiro vai encaminhar uma equipe da Polícia Federal para buscar o empresário. Por questão de segurança, a instituição não divulgou a data da viagem.

De acordo com a diretora do DHPP, chegando a São Paulo, Brennand será levado a uma unidade do IML (Instituto Médico Legal), onde será submetido ao exame de corpo de delito. Em seguida, ele deve passar por audiência de custódia e, por fim, transferido para um centro de detenção provisória.

“O desrespeito com a figura feminina está muito claro. A gente espera uma condenação pela forma como ele trata o ser humano, em especial as mulheres”, afirma Ivalda Aleixo.

“Fico feliz como delegada, como mulher e em nome de todas as vítimas que a gente tem conhecimento e das que ainda não tiverem coragem de denunciar”, complementa, sobre o cumprimento da extradição.

Acusações

O caso do empresário ganhou repercussão depois que ele foi flagrado por câmeras de segurança ao agredir a modelo Alliny Helena Gomes em uma academia no Shopping Iguatemi, em área nobre da capital paulista, no dia 3 de agosto. Depois, outras mulheres decidiram denunciá-lo.

A delegada Ivalda Aleixo também pontua que, após receber uma denúncia, Brennand tinha o hábito de registrar boletins de ocorrência contra as vítimas com o objetivo de desacreditá-las. “Muitas se sentiam intimidadas pela agressividade ou pelo poder dele”, relata.

A estudante de medicina Stefanie Cohen, de 30 anos, é uma das denunciantes. Em outubro, ela revelou ao R7 que foi estuprada por Brennand. Na época, ela disse que foi dopada e sofreu abuso: “Percebi que falar sobre isso faz parte da minha cura”.

Ainda em outubro, o Ministério Público de São Paulo (MP-SP) fez a terceira denúncia contra o empresário pela agressão ao garçom Vitor Igor Rodrigues Machado, de 26 anos, em um condomínio de Porto Feliz, no interior do estado.

Na quarta denúncia, ele foi acusado do crime de ameaça e contravenção penal de vias de fato (quando há uma agressão física leve) contra Agostinho Rodrigues da Silva, de 54 anos, caseiro do condomínio onde vivia.

O empresário também é investigado pelo estupro de uma americana. Segundo o MP-SP, ele teria ameaçado a mulher com a divulgação de imagens de cenas íntimas caso ela rompesse o relacionamento.

Anúncio