Cupertino pede transferência para penitenciária de ‘famosos’

Cupertino é acusado de matar o ator Rafael Miguel e os pais dele, em 2019

São Paulo – O empresário Paulo Matias Cupertino, de 51 anos, pediu para ser encaminhado ao presídio Dr. José Augusto César Salgado, em Tremembé, no interior de São Paulo, conhecido por ser o local onde estão presos “famosos”, como Alexandre Nardoni, acusado de ter matado a filha de 5 anos, em 2008, Daniel e Cristian Cravinhos, que ajudaram Suzane von Richthofen a assassinar os pais, em 2004, entre outros.

(Foto: Reprodução / Record TV)

Cupertino é acusado de matar o ator Rafael Miguel e os pais dele, em 2019.

O pedido foi feito pela Defensoria Pública do Estado de São Paulo, que representa Cupertino no caso, e protocolado na tarde de segunda-feira (22), sob alegação de que imagens do preso nas dependências dos presídios do Belém, no centro de São Paulo (SP), e de Presidente Venceslau, no interior, vazaram. A defensoria argumentou estar comprovado “o risco à integridade física/mental” do acusado.

“Em momento nenhum o acusado anuiu à exposição de sua imagem, nem tácita nem explicitamente, tendo informado que não assinou nenhum documento neste sentido”, escreve a defensoria no ofício, ressaltando que a cessão de imagens sigilosas em um caso como esse constitui crime e grave infração disciplinar.

Em relação à divulgação das imagens de Cupertino, a defesa pede que seja aberto um procedimento para a investigação do vazamento dos vídeos do acusado, e requisita a informação sobre quais servidores têm acesso a esse material e quais efetivamente acessaram o sistema das penitenciárias, a fim de que sejam apuradas infrações criminal e administrativa.

A defensoria solicita, ainda, que se informe a qual unidade o preso será encaminhado, e que, a não ser por manifestação de vontade dele próprio, não seja autorizado o acesso de advogados ou equipes de reportagem a ele.

Além do presídio no Tremembé, o Centro de Detenção Provisório de Guarulhos, na Grande São Paulo, era uma opção dada pela defensoria sobre locais para onde Cupertino fosse encaminhado.

O pedido foi feito logo após a audiência de instrução que deveria ter sido realizada na segunda-feira (23), no Fórum Criminal da Barra Funda, na zona oeste de São Paulo, e que precisou ser interrompida porque duas testemunhas não apareceram.

Ele chegou a ser tranferido da Penitenciária I de Presidente Venceslau, onde estava preso, para a audiência e, após a interrupção, foi encaminhado para um presídio da cidade de São Paulo. A informação foi confirmada pela SAP (Secretaria da Administração Penitenciária), que detalhou qual a unidade para a qual Cupertino foi transferido.

Audiência de instrução

Segundo o Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), nesse tipo de audiência são ouvidas testemunhas e o réu é interrogado. As partes apresentam então as alegações finais e, dependendo do andamento dos trabalhos, o juiz pode designar audiência em continuação ou decidir se o acusado irá a júri popular ou não.

Isabela Tibcherani, filha do acusado e quem presenciou o crime do pai contra o namorado, chegou a ir ao local da audiência para depor contra o pai, mas foi dispensada. O juiz do caso entendeu que ela poderia deixar a sessão uma vez que havia prestado depoimento anteriormente e que não seria necessário falar novamente, segundo informações do Cidade Alerta, da Record TV.

Anteriormente, a jovem havia pedido para não ser colocada no mesmo ambiente do pai durante a audiência. “Ela não aguenta mais essa situação, só quer que acabe logo para seguir sua vida”, afirmou ao R7 o advogado Ricardo Marinho, que representa Isabela.

Agora, a audiência de instrução foi marcada para 7 de outubro. Enquanto isso, o acusado fica no presídio da capital.

O crime

Na época em que o crime ocorreu, Isabela tinha 18 anos, e o namorado dela, o ator Rafael Miguel, 22. Ele teria ido à casa da jovem após ela ter tido uma crise de ansiedade por conta de toda a pressão do pai para que ela acabasse com o namoro.

Rafael foi com os pais à casa da família para poder conversar com Paulo Cupertino. Chegando lá, eles foram recebidos apenas pela mãe de Isabela. Cupertino chegou depois, pediu para que saíssem e atirou 13 vezes contra os três, que não resistiram.

Segundo o laudo elaborado pela Polícia Técnico-Científica de São Paulo, sete tiros atingiram Rafael, sendo um na cabeça, outro no peito, três nas costas e dois no braço esquerdo. O pai dele foi baleado quatro vezes, no peito e nos braços e a mãe levou dois tiros, no peito e no ombro.

Após assassinar a família, o homem fugiu e ficou quase três anos foragido. Cupertino estava na lista dos mais procurados da polícia de São Paulo quando foi preso em um hotel na zona sul. Ao longo de três anos, investigadores foram a mais de cem endereços e fizeram buscas até no Paraguai, sem conseguir detê-lo.

Após a prisão, Cupertino foi levado inicialmente a um centro de detenção provisória e transferido para a Penitenciária I de Presidente Venceslau.

O réu responde por triplo homicídio duplamente qualificado, por motivo fútil e sem dar possibilidade de defesa às vítimas.

Presos no complexo prisional do Tremembé

A penitenciária de Tremembé, no interior paulista, é conhecida por abrigar — ou ter abrigado — autores de alguns dos crimes de maior repercussão no país.

Suzane von Richthofen, o casal Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá, Roger Abdelmassih, Gil Rugai, Lindemberg Alves e Elize Matsunaga, entre outros, já estiveram detidos na P1 e P2, como são chamadas as unidades feminina e masculina, respectivamente, no interior paulista.

Anúncio