‘Desculpe o papai por não ter feito mais’, diz pai do menino Henry Borel

Após um mês da morte de Henry, o engenheiro Leniel de Almeida usou uma rede social para se manifestar sobre a morte do filho

São Paulo – O pai do menino Henry Borel, o engenheiro Leniel de Almeida, fez uma postagem na quarta-feira (7) lembrando um mês da morte da criança. Na mensagem, Leniel pede desculpas por não ter feito mais pela segurança do filho.

“Henry, 30 dias desde que te dei o último abraço. Nunca vou esquecer de cada minuto do nosso último final de semana juntos. Deixar você bem, cheio de vida, com todos os sonhos e vontades de uma criança inocente. Desculpe o papai por não ter feito mais, lutado mais e protegido você muito mais. Confiamos que Deus fará sobressair a tua justiça como a luz, e o teu juízo como o meio-dia. Salmos 37”

Pai de Henry deixa homenagem após um mês da morte da criança (Foto: Reprodução / Instagram)

Investigações

Henry morreu na noite do dia 8 de março após chegar ao hospital com dificuldades para respirar. Segundo o laudo do IML (Instituto Médico Legal), os ferimentos que causaram a morte foram feitos por uma ação violenta. A mãe da criança, a professora Monique Medeiros, e o padastro de Henry, o vereador Dr. Jairinho são investigados no caso e foram presos na manhã desta quinta-feira (8).

Monique e Jairinho se ausentaram da reconstituição do crime na semana passada, alegando quadros de depressão. A reprodução simulada da morte do menino contou com a presença de dois peritos e do Ministério Público.

Em uma perícia realizada simultaneamente no apartamento do casal, foram localizadas supostas manchas de sangue em pedaços do papel de parede da sala e do quarto onde dormia o menino Henry.

Anúncio