Dilma recusa convite de Doria para vacinação: ‘É inaceitável furar a fila’

A ex-presidenta agradeceu o convite, mas disse que por razões éticas e de justiça recusaria a oferta

Brasil – A ex-presidenta Dilma Rousseff recusou nesta quinta-feira (21) o convite do governador de São Paulo, João Doria, para ser vacinada com a Coronavac no próximo dia 25, em Porto Alegre. Segundo ela, o motivo para a recusa é por razões “éticas e de justiça”.

Segundo nota publicada em seu site, a ex-presidenta agradeceu o convite, mas que recusou a oferta: “O Plano Nacional de Vacinação deve ser respeitado e, se é certo que a vacinação já começou, não há montante de vacinas disponível para que eu, agora, seja beneficiada. É inaceitável ‘furar a fila’, que deve ser estritamente respeitada por todos s brasileiros. Neste momento, considero imprescíndivel que sejam atendidos, de acordo com o Plano, primeiramente os trabalhadores da área da saúde que estão na linha de frente da luta contra a Covid-19, além dos idosos que vivem em asilos e o grupo de idosos brasileiros mais expostos ao risco de adoecer gravemente ou morrer”, disse em nota a petista.

“Aguardarei pacientemente a minha vez e quero adiantar que já estou com o braço estendido para receber a Coronavac”, acrescenta.

Além disso, Dilma também homenageou o SUS, o Instituto Butantan, à Fiocruz e o governo da China, “que proporcionou a parceria entre o estado São Paulo/Butantan e o laboratório Sinovac para a importação e a fabricação das vacinas em nosso País”.

Anúncio