Documentos de registro e transferência de veículo serão digitais

A medida valerá para novos registros, documentos impressos em papel-moeda verde continuarão valendo, além da CRV Digital

Manaus – A partir desta segunda-feira (4), o documento de compra e venda de veículos (CRV) e de porte obrigatório (CRLV) sofrerão mudanças em todo o país, segundo determinação do Conselho Nacional de Trânsito (Contran). A primeira novidade é que eles não serão mais impressos em papel-moeda, mas somente em papel comum, ou em formato digital no celular, pelo aplicativo Carteira Digital de Trânsito.

Novo documento para transferência de veículos comprados a partir de 2021. (Imagem: Divulgação/Detran)

O Certificado de Registro do Veículo (CRV) e o Certificado de Licenciamento Anual (CLA) agora passam a integrar o Certificado de Registro e Licenciamento do Veículo (CRLV-e). O documento do veículo estará disponível pelo aplicativo Carteira Digital de Trânsito (CDT), que também abriga a versão digital da Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

A resolução do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) que aprovou a digitalização dos documentos ainda extinguiu comprovante de transferência de propriedade (antigo DUT) e o transformou no Autorização para Transferência de Propriedade do Veículo (ATPV-e). A medida valerá para novos registros. Documentos impressos em papel-moeda verde continuarão valendo, além da CRV Digital.

Leia mais: Contran autoriza digitalização de documentos de registro

Caso prefira, o proprietário do veículo também pode imprimir o documento em papel A4 comum, branco, que terá o QR Code de segurança, válido para fiscalização. O registro é obrigatório na compra de veículo zero km; compra/venda de um usado; mudança de município de domicílio ou residência do proprietário e na mudança de categoria ou alteração de característica do veículo.

Como conseguir a CRV Digital

Para quem já possui o documento de registro e a autorização para transferência de propriedade em papel-moeda (veículos registrados antes de 2021) nada muda. Ao vender o veículo, o proprietário preenche o verso do documento com os dados do comprador, reconhece firma no cartório e, por fim, o comprador vai ao Detran para efetivar a transferência.

O procedimento só muda para veículos registrados a partir de agora. “O Detran expedirá somente o CRLV-e, em formato digital. A ATPV-e, que antes vinha em branco, no verso do documento, a partir de agora será expedida somente quando o proprietário for vender o veículo”, explica o Contran.

A expedição do documento de transferência deve ser feita junto ao Detran, presencialmente ou por meio de algum canal de atendimento digital. Com a ATPV-e preenchida e com o QR Code de segurança, o comprador deve reconhecer a firma no cartório e efetivar da transferência. Em breve, a transferência poderá ser realizada totalmente em meio digital. “Transferir um veículo será tão simples quanto fazer uma transferência bancária, tudo na palma da mão”, promete Carneiro.

Comodidade

Essas mudanças não irão implicar nenhum acréscimo de taxas para os donos de veículos. O novo documento vai trazer agilidade, principalmente para quem mora no interior do estado.

Para se ter uma ideia, a transferência de um veículo ou o novo emplacamento poderia levar até dois meses, dependendo do município. Isso porque os documentos vinham para Manaus e depois tinham que retornar fisicamente.

Com a mudança, após chegar a Manaus, o novo documento já estará disponível eletronicamente no posto de atendimento do Detran-AM nos municípios, em até uma semana.