Duas mulheres são presas suspeitas de agredir grávida a pauladas

Dupla deve ser indiciada por três crimes, incluindo tentativa de aborto involuntário; cena de violência foi divulgada na internet

Santos Dumont – A Polícia Civil prendeu, nesta quinta-feira (14), as duas mulheres suspeitas de agredir uma grávida de 8 meses a pauladas em Santos Dumont, a 220 quilômetros de Belo Horizonte. As cenas de violência foram filmadas e divulgadas por uma das suspeitas.

Josi Araújo e Shyene Araújo acusam a vítima de ter roubado o tio delas e se apossado do imóvel do homem, que teria oferecido abrigo a ela.

De acordo com o delegado Cleber Faria, todos os envolvidos foram ouvidos no inquérito. Aos investigadores, a vítima negou estar armada durante as agressões. O delegado ressalta a gravidade da violência sofrida pela mulher.

— Foram agressões sérias e humilhantes. As imagens mostram que ela estava caída, com ambas as mãos vazias, sem segurar nada ou oferecer perigo.

Segundo Faria, uma das suspeitas já foi detida várias vezes. A outra não possui ficha criminal, mas seria “conhecida nos meios policiais”. O órgão pediu ao Poder Judiciário a prisão preventiva da dupla, que foi levada para um presídio local.

De acordo com o delegado, o inquérito deve ser concluído em até 10 dias. As duas suspeitas devem ser indiciadas por lesão corporal, tentativa de aborto involuntário e incitação ao crime. Segundo Faria, se condenadas, as mulheres poderão pegar pena superior a 10 anos de prisão.

A reportagem tenta contato com a defesa das suspeitas.

Agressão filmada

As cenas de violência foram registradas por uma das suspeitas, que publicou as imagens em uma rede social. Em entrevista à Record TV Minas, Josi Araújo afirmou estar indignada com a reação dos populares.

— Eu estou revoltada porque todo mundo está me julgando, mas por que ninguém julga ela nas biqueiras em que usa droga? E depois ainda vem agredir meu tio.

Já Shyene Araújo tentou se defender das acusações.

— Nós não batemos na barriga dela, em momento algum. Nem na cara dela. Nós batemos apenas na perna.

A vítima, que preferiu não se identificar, negou ser usuária de drogas ou ter roubado os pertences do tio de uma das suspeitas, e afirmou estar sendo perseguida pelas duas.

— Eu passei a maior vergonha da minha vida, não devo nada a elas. Usuária de drogas eu nunca fui, só fui traficante. Se eu roubasse dele, ele não entregaria a chave da casa nas minhas mãos.

Outra confusão

Josi Araújo e a gestante também teriam se envolvido em uma confusão no fim de setembro. As duas teriam brigado em um posto de gasolina da cidade. As imagens também foram publicadas pela suspeita nas redes sociais, com a afirmação de que “isso era o que acontecia com quem atravessava o caminho dela”.

Anúncio