Emirados Árabes dá autorização à PF para buscar Thiago Brennand

Desde setembro, empresário está em Abu Dhabi; atualmente, há cinco mandados de prisão preventiva contra ele

Brasília – O governo dos Emirados Árabes autorizou o Brasil a buscar o empresário Thiago Brennand, acusado dos crimes de ameaça, estupro, lesão corporal e cárcere privado, de acordo com informações da Polícia Federal e do Itamaraty. Brennand está preso desde segunda-feira (17) no país para ser extraditado para o Brasil.

(Foto: Reprodução Record TV)

Ainda não havia data prevista para que Brennand pudesse voltar. Agora, com essa autorização, o processo deve ser simplificado.

Desde setembro do ano passado o empresário está em Abu Dhabi, a capital do país árabe. Atualmente, há cinco mandados de prisão preventiva contra ele em aberto em território brasileiro. Sua ida ao exterior motivou a expedição da sua primeira ordem prisional, assinada pela juíza Érika Mascarenhas, da 6ª Vara Criminal de São Paulo.

Procurado pelo R7 para comentar as acusações, Brennand não se manifestou. Em vídeo na internet, ele diz ser vítima de perseguição e alvo de inveja.

Veja nota do Itamaraty na íntegra:

“Por meio de comunicação diplomática encaminhada à Embaixada do Brasil em Abu Dhabi e dirigida ao Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP), o Ministério da Justiça dos Emirados Árabes Unidos formalizou a decisão judicial de autorizar a extradição do brasileiro Thiago Brennand.

O processo de implementação da extradição é conduzido pelo MJSP, autoridade central para a cooperação jurídica internacional.”

Acusações

O caso do empresário ganhou repercussão depois que ele foi flagrado por câmeras de segurança ao agredir a modelo Alliny Helena Gomes em uma academia no Shopping Iguatemi, em área nobre da capital paulista, no dia 3 de agosto. Depois, outras mulheres decidiram denunciá-lo.

A estudante de medicina Stefanie Cohen, de 30 anos, é uma das denunciantes. Em outubro, ela revelou ao R7 que foi estuprada por Brennand. Na época, ela disse que foi dopada e abusada: “Percebi que falar sobre isso faz parte da minha cura”.

Ainda em outubro, o MPSP (Ministério Público de São Paulo) fez a terceira denúncia contra o empresário pela agressão ao garçom Vitor Igor Rodrigues Machado, de 26 anos, em condomínio de Porto Feliz, no interior do estado.

Na quarta denúncia, ele foi acusado de crime de ameaça e contravenção penal de vias de fato (quando há uma agressão física leve) contra Agostinho Rodrigues da Silva, de 54 anos, caseiro do condomínio onde vivia.

O empresário também é investigado pelo estupro de uma americana. Segundo o MPSP, ele teria ameaçado a mulher com a divulgação de imagens de cenas íntimas caso ela rompesse o relacionamento.

 

Anúncio