Ginecologista é preso pela segunda vez, acusado de assédio sexual

Mandado de prisão foi expedido em Abadiânia (GO), onde o médico também é acusado de abuso. Total de denúncias passa de 50

Anápolis – O ginecologista Nicodemos Moraes, de 41 anos, voltou a ser preso em Anápolis (GO) depois que uma decisão judicial o livrou da cadeia por nove dias. Na Polícia Civil de Goiás, ele é acusado formalmente por 53 mulheres de estupro e abuso sexual durante as consultas. As informações são da Record TV.

Foto: Reprodução Record TV

A nova prisão cumpre mandado expedido na cidade de Abadiânia, onde outras três vítimas acusaram o ginecologista. Ele havia sido detido pela última vez em 29 de setembro, em ação da polícia em seu consultório.

As vítimas alegam que, além dos toques indevidos, o médico chegava a induzir as pacientes a pegar em suas partes íntimas durante os atendimentos. Uma das mulheres diz ter sido vítima quando tinha 12 anos. “Ele veio me falar que era para ver histórias em quadrinhos pornôs, começou a me mostrar links, fotos, onde eu podia pesquisar”, relatou.

Em sua defesa, o médico alega inocência. Ele diz que durante os exames as pacientes ficavam excitadas acidentalmente e que as denúncias não passam de um mal-entendido.

Anúncio