Helicóptero que desapareceu em SP não tinha autorização para fazer táxi-aéreo

Buscas pela aeronave com destino à Ilhabela foram retomadas na madrugada; o condutor e três passageiros estão desaparecidos

São Paulo – O piloto do helicópetro que desapareceu em São Paulo, com destino a Ilhabela, na tarde do último domingo (31), é investigado pela Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) por indícios de prestação de serviço irregular de táxi-aéreo — já que ele não tem autorização legal para oferecer voos remunerados.

(Foto: Reprodução / redes sociais)

Além do piloto Cassiano Tete Teodoro, na aeronave também estavam presentes três tripulantes identificados como Luciana Marley Rodzewics Santos, de 46 anos, a filha Letícia Ayumi Rodzewics Sakumoto, de 20 anos, e o amigo da família Raphael Torres.

A FAB (Força Aérea Brasileira) retomou as buscas na região da Serra do Mar na madrugada desta terça-feira (2) para tentar localizar a aeronave Robinson 44 (PRHDB). O helicóptero decolou do Aeroporto de Campo de Marte, em Santana, na zona norte de SP, às 13h15 de domingo. O último sinal do radar foi registrado às 15h10, na Serra do Mar, na região de São José dos Campos.

Ano novo

De acordo com relato de familiares, as vítimas desaparecidas haviam mudado os planos para a virada de ano.

O planejamento inicial era comemorar a virada de 2023 na casa da irmã de Luciana, mas o Helicóptero Robinson 44, que saiu de São Paulo, tinha como destino Ilhabela, litoral norte do estado.

Último contato

O último contato de Letícia foi com o namorado, informando que a aeronave estava retornando para São Paulo por conta do mau tempo.

A passageira gravou e enviou um vídeo mostrando o tempo nublado para o companheiro e, em seguida, enviou mensagens dizendo que estava perigoso.

A empresa responsável pela aeronave informou aos familiares que o ocorrido é devido à neblina densa e muita chuva que as vítimas enfrentam.

Ao namorado, Letícia havia dito que iria almoçar com a mãe, mas retornaria para o Réveillon.

Rastreamento

A Polícia Civil conseguiu rastrear a localização do celular de Luciana, que continua funcionando.

O helicóptero Robinson 44 estava em situação normal nos registros da Anac, apenas com restrição para a operação de táxi-aéreo.

Anúncio