Homem é condenado a 17 anos por matar mulher e concretar corpo

Durante julgamento, Sidney da Silva Lopes confessou que matou a mulher e escondeu o corpo dela três dias depois, usando cimento

Santa Lúcia – A Justiça condenou a 17 anos e sete meses de prisão o homem acusado de matar a mulher e concretar o cadáver, esquartejado, na parede de casa. O crime aconteceu em abril de 2020, no bairro Vila Barragem Santa Lúcia, na região Centro-Sul de Belo Horizonte.

Casal ficou junto durante cerca de 12 anos
Foto: REPRODUÇÃO / RECORD TV MINAS

Durante o julgamento, realizado nesta sexta-feira (27), Sidney da Silva Lopes confessou ter matado a esposa, Cleonice Correa de Jesus. Ele afirmou que, durante os 12 anos de relacionamento, nunca havia agredido a mulher, mas, no dia em questão, os dois estariam sob o efeito de drogas e teriam discutido por algum motivo não citado por ele.

Lopes admitiu que trocou empurrões com a esposa e, na sequência, deu dois golpes de martelo na cabeça da vítima. No dia seguinte, o acusado encomendou cimento, areia e brita. Três dias depois, após o material ser entregue, o suspeito fez uso de drogas novamente e escondeu o corpo da vítima na parede.

De acordo com a sentença, Sidney foi considerado culpado pelos crimes de feminicídio e  ocultação de cadáver.

Relembre o caso

O corpo foi localizado no dia 14 de abril de 2020, após a irmã de Cleonice dar falta dela, que já não ia ao trabalho há 5 dias. Após a denúncia ser realizada, a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros foram até o local e constataram o mau cheiro no imóvel. Segundo o dono da casa, os agentes encontraram uma parede nova construída embaixo de uma escada. Ao abrirem um buraco na estrutura, eles encontraram o corpo da mulher dentro de um saco, esquartejado.

Anúncio