Homem é preso por perseguição obsessiva e ameaças à ex-esposa

Mulher passou a ser perseguida de forma obsessiva quando pediu, à Polícia Civil, medida protetiva contra o ex-marido

Belo Horizonte – Um homem de 36 anos de idade foi preso suspeito de “stalking” contra a ex-esposa. A perseguição obsessiva e ameaçadora à vítima, de 32 anos, motivou o cumprimento do mandado de prisão contra ele, em Ribeirão das Neves, na região metropolitana de Belo Horizonte, na última segunda-feira (14).

De acordo com a Polícia Civil, o homem ameaçou não só a ex-esposa como outras pessoas que conviviam com ela, além de divulgar vídeos íntimos da mulher.

As investigações começaram em 24 de março, quando a vítima procurou a polícia para pedir medida protetiva contra o ex-marido. Na ocasião, ela relatou à delegada que havia pedido a separação em janeiro, mas começou a ser perseguida por ele.

De acordo com a delegada Cristiane Gaspari, o homem ia todos os dias ao trabalho dela, mandava mensagens e e-mails pedindo para reatar o relacionamento.

Foto: REPRODUÇÃO/POLÍCIA CIVIL

“Ela não conseguia mais trabalhar nem frequentar a igreja, porque ele estava sempre por perto, não a deixava em paz”, disse a autoridade.

As perseguições e ameaças do ex-marido pioraram depois que ele foi comunicado que a Justiça havia autorizado medida protetiva contra ele e que, por isso, ele não poderia mais se aproximar dela.

A partir daí, segundo a delegada Cristiane Gaspari, o suspeito passou a ameaçar a ex-esposa, bem como o atual namorado e pessoas do convívio da mulher. Além disso, o homem ameaçava divulgar vídeos íntimos da mulher e chegou a enviar o material para a pastora da igreja em que ela frequentava.

“Ele procurava familiares, membros da igreja onde a vítima frequentava, chegando a enviar mensagens inclusive para colegas de trabalho dela”, afirmou a delegada.

Prisão

De acordo com a Polícia Civil, no momento da prisão, o suspeito portava uma faca e uma arma de airsoft, usadas para ameaçar a vítima por meio de vídeos e fotos. As armas foram apreendidas, assim como o celular, que passará por perícia.

O suspeito também pode responder, na Justiça, por outros crimes, com falsificação de documentos e fornecer medicamentos o filho do casal, de três anos de idade, sem orientação médica.

Uso do filho

Segundo a delegada Cristiane Gaspari, o homem usava a criança para convencer a ex-esposa para voltar para casa, dizendo que ela estava doente e que queria a mãe de volta. A investigação concluiu que ele teria falsificado uma receita média para provar que um médico teria receitado medicamento forte para febre.

“[Foi] apurado com a unidade de saúde mencionada na receita que a criança não havia dado entrada no estabelecimento”, contou a delegada.

*Com informações do R7

Anúncio