IML divulga laudo da morte de adolescente agredido em escola

A família diz que ele sofria bullying

São Paulo – O Instituto Médico Legal (IML) divulgou nesta sexta-feira (19), a causa da morte de Carlos Teixeira Gomes Ferreira Nazara, adolescente de 13 anos que foi agredido por alunos da escola em que estudava, no litoral de São Paulo. O jovem ficou internado por uma semana, teve três paradas cardíacas e não resistiu. A família diz que ele sofria bullying.

(Foto: Reprodução)

De acordo com o atestado de óbito concluído pelo IML, o adolescente morreu em decorrência de uma broncopneumonia bilateral.

O documento cita também uma celulite infecciosa (tipo de infecção bacteriana), no cotovelo do garoto. Porém, ainda é necessária a produção do laudo da necropsia. O documento deve indicar o que causou a broncopneumonia.

Julysses Nazarra, o pai do adolescente afirma que o garoto morreu em decorrência da agressão. Ele concedeu entrevista na quinta-feira (18) ao programa Brasil Urgente, da Band. Na reportagem ele esclarece que o filho sofria bullying na escola. Julysses cita ainda duas agressões sofridas pelo filho, em 19 de março e 9 de abril. Segundo o pai, depois das agressões, o menino teve febre e dor, além de ter ficado com a coluna torta. Ele foi levado algumas vezes ao Pronto Socorro, foi medicado e mandado de volta para casa.

A Secretaria de Educação de São Paulo lamentou a morte do estudante. A pasta disse que a diretoria de ensino local instaurou uma apuração preliminar.

Anúncio