Isenção de conta de luz beneficiará a 185.788 imóveis no Amapá

Medida estabelece a isenção entre os dias 26 de outubro e 24 de novembro – nove dias antes do incêndio que atingiu a subestação de Macapá até o restabelecimento da energia

Brasília – A Medida Provisória (MP) que isenta de taxas de energia os consumidores das 13 cidades do Amapá afetadas por problemas no fornecimento de energia elétrica durante 21 dias de novembro beneficiará a 185.788 imóveis residenciais ou comerciais.blank

Publicada no Diário Oficial da União do último dia 25, a MP 1.010 estabelece a isenção da cobrança de taxas entre os dias 26 de outubro e 24 de novembro – ou seja, de nove dias antes do incêndio que atingiu a subestação de Macapá, na noite de 3 de novembro, até a data em que o fornecimento energético foi integralmente restabelecido.

Técnicos da Companhia de Eletricidade do Amapá (CEA) apresentaram nesta quinta-feira (03), ao ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, e ao governador Waldez Góes, detalhes de como a empresa distribuidora estatal atuará para não cobrar a conta dos consumidores afetados pelo apagão e pelo posterior racionamento no período estipulado pela MP. Albuquerque está em Macapá desde terça-feira (02), vistoriando as medidas já implementadas para garantir a estabilidade do sistema.

blank

Isenção de conta de luz beneficiará a 185.788 imóveis no Amapá (Foto: Divulgação / Mistério da Minas e Energia)

Segundo os técnicos da CEA, a medida contempla os consumidores dos grupos A (grandes consumidores) e B (baixa tensão). Valores que já tenham sido pagos serão convertidos em créditos que serão lançados na conta do mês de dezembro.

Além de isentar os consumidores dos grupos A e B do pagamento da quantia de energia consumida no período especificado, a medida se aplica também à cobrança de taxa de iluminação pública e de tributos como o ICMS, PIS/COFINS e COSIP. A isenção, porém, não atinge dívidas antigas e nem o pagamento de débitos parcelados.

Dúvidas poderão ser esclarecidas presencialmente, nas agências da CEA; na Rede Super Fácil ou por meio do telefone 116.

“Este é um trabalho que está sendo feito para garantir este benefício ao consumidor que, infelizmente, enfrentou o racionamento por diversos dias. É um esforço conjunto do governo Federal, governo do estado e demais órgãos que atuaram para a normalização do fornecimento de energia”, declarou o diretor-presidente da CEA, Marcos Pereira.

Reunião

No Twitter, o governador Waldez Góes informou que, na manhã desta quinta-feira (03), acompanhou o ministro Bento Albuquerque e representantes da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), da Empresa de Pesquisa Energética (EPE) e da Eletronorte durante inspeção em subestações de energia. De acordo com Góes, o fornecimento energético para o estado “segue dentro do planejado”.

Em nota divulgada na manhã desta quinta-feira (03), a CEA informou que, durante a conversa, o ministro se comprometeu a anunciar, no próximo dia 7, um “plano de estruturação integral da rede de abastecimento energético” estadual e os primeiros resultados das análises feitas para apurar as causas e as responsabilidades pelo incêndio na subestação Macapá e pelo posterior apagão.

Um termo de compromisso assinado pelo Ministério de Minas e Energia, Eletronorte, Aneel, CEA e Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) para a implementação do Programa Mais Luz para a Amazônia no Amapá foi publicado no Diário Oficial da União de hoje. Segundo o texto, o objetivo é estabelecer metas de atendimento à população residente em regiões remotas do estado, e para as quais não é possível o atendimento com extensão de redes convencionais.

Anúncio