Justiça decreta prisão de fisioterapeuta acusado de abusar de paciente em UTI

Ele informou a jovem que faria um procedimento e colocou as mãos nas partes íntimas dela

São Paulo – O Tribunal de Justiça de São Paulo decretou, na última segunda-feira (13), a prisão preventiva de Nicanor dos Santos Modesto Júnior, o fisioterapeuta que é acusado de abusar de uma paciente em janeiro deste ano na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) de um hospital da zona sul de São Paulo.

(Foto: Reprodução R7)

A jovem estava internada após passar por uma cirurgia para a remoção de hérnia de disco no Hospital São Luiz. Ela relatou que os abusos ocorreram quando estava no leito sozinha.

O homem dizia que faria massagens para relaxar os músculos dela, no entanto, ele abriu seu roupão e cometeu os abusos, colocando a mão em suas partes íntimas.

Debilitada, a vítima não conseguiu reagir. Depois, ela conversou com outros profissionais para entender se aquele procedimento era correto e necessário e informada que não, momento em que entendeu que havia realmente sofrido o abuso.

Homem nega as acusações

A mulher fez a denúncia e, na época, a assessoria de imprensa do hospital informou que Nicanor foi afastado das atividades. O homem chegou a ser levado para a delegacia, onde negou as acusações.

Ele afirmou ter entrado no quarto da paciente sem ser acionado, mas justificou a atitude por cuidado.

Mesmo assim, Nicanor foi denunciado pelo Ministério Público e, só na última segunda, saiu a decisão de prisão preventiva.

Anúncio