Justiça realiza primeira audiência do caso Henry Borel

Acusados da morte da criança, Jairinho e Monique vão participar da audiência, ele de forma remota e ela presencialmente

Rio de Janeiro – Está marcada para esta quarta-feira (6) a primeira audiência de instrução e julgamento da morte de Henry Borel, de 4 anos. A partir das 9h30, serão ouvidas 12 testemunhas de acusação do processo. O menino morreu no dia 8 de março.

A polícia suspeita que Henry Borel, de 4 anos, tenha morrido depois de ser submetido por Dr. Jairinho a uma sessão de torturas (Foto: Reprodução/Instagram)

Entre as testemunhas que serão ouvidas está Ana Carolina Ferreira Netto, ex-mulher de Jairinho. Ela havia solicitado dispensa da audiência, mas o pedido foi negado pela juíza Elizabeth Machado Louro, assim como o pedido de liminar foi negado pelo desembargador Joaquim Domingos de Almeida Neto, da 7ª Câmara Criminal.

Jairo Souza dos Santos Júnior e Monique Medeiros, acusados da morte da criança, vão participar da sessão. A mãe do menino estará presencialmente na audiência, enquanto o ex-vereador entrará por videoconferência, de Bangu 8, onde está preso.

Henry Borel morreu em 8 de março e, segundo a denúncia do Ministério Público do Rio de Janeiro, foi vítima de torturas realizadas por Jairinho no apartamento onde ele morava com Monique, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio.

O casal teve a quebra dos sigilos bancário e fiscal autorizada pela Justiça, mas o TJ-RJ (Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro) afirmou que esse processo corre em segredo judicial. Caso ela seja feita, apenas as partes terão acesso.

Testemunhas

As 12 testemunhas que serão ouvidas hoje são: Leniel Borel de Almeida Júnior (pai de Henry); Edson Henrique Damasceno; Ana Carolina Lemos Medeiros Caldas; Thayna de Oliveira Ferreira; Leila Rosângela de Souza Mattos; Ana Carolina Ferreira Netto; Maria Cristina de Souza Azevedo; Viviane dos Santos Rosa; Fabiana Barreto Goulart Deleage; Tereza Cristina dos Santos; Pablo dos Santos Meneses; e Rodrigo dos Santos Melo.

Anúncio