Madrasta é presa acusada de dar feijão envenenado aos enteados

A enteada de 22 anos morreu após sofrer parada cardíaca; jovem passou mal depois de ingerir a comida da madrasta

Rio de Janeiro – Cíntia Mariano Dias Cabral, 49, foi presa suspeita de envenenar o enteado de 16 anos e matar a enteada de 22 anos. A madrasta teria confessado aos próprios filhos que envenenou os enteados que passaram mal após ingerir o feijão preparado por ela.

Madrasta é presa acusada de dar feijão envenenado aos enteados  (Foto: Reprodução / Redes Sociais)

O delegado Flávio Rodrigues, da 33ª DP de Realengo no Rio de Janeiro, confirmou que a suspeita é investigada pela tentativa de homicídio do enteado de 16 anos por envenenamento e do assassinato de Fernanda Carvalho, de 22 anos.

Em março, a jovem deu entrada em um hospital com mal estar e dificuldade para respirar. Fernanda morreu após sofrer uma parada cardíaca. Segundo familiares, os médicos não fecharam um diagnóstico sobre o caso dela. No mês seguinte, o irmão de Fernanda foi internado com sintomas parecidos, mas conseguiu se recuperar. Os dois teriam passado mal após ingerirem a comida preparada pela madrasta.

Responsável pela investigação, Flávio Rodrigues comentou a informação de que o menino teria visto “bolinhas azuis” no feijão.

“Ela alega que as ‘bolinhas azuis’ encontradas na comida seriam caldo de galinha, que não foi dissolvido. Porém, com o desenvolver da investigação, chegamos à conclusão que não, tratava-se de substância tóxica, a qual levou o enteado a ser socorrido no Hospital Municipal Albert Schweitzer”.

Cíntia se apresentou à delegacia, mas se reservou ao direito de ficar calada. O delegado disse ainda que a madrasta teria confessado o crime aos próprios filhos. A motivação teria sido ciúme do marido.

“Confessar, ela não confessou. Porém, os depoimentos colhidos pelos filhos naturais de Cíntia dão conta de que ela confessou para os filhos que, de fato, teria envenenado a Fernanda e teria tentado envenenar o adolescente. E os filhos falam isso em seus depoimentos”, disse.

Na casa da mulher, os investigadores encontraram veneno para pulga próximo ao cooktop. O material foi recolhido para perícia. Além disso, a substância que estava no corpo do adolescente foi encaminhada para análise.

Na investigação sobre a morte da jovem, a polícia pretende analisar o prontuário médico e ainda avalia a necessidade de exumar o cadáver.

Anúncio