Mãe de Isabella Nardoni conta que filho quer visitar túmulo da irmã

Em entrevista, Ana Carolina Oliveira revela que o menino tem vontade dar “um abraço” na primogênita

Rio de Janeiro- Ana Carolina Oliveira, a mãe de Isabella Nardoni, revelou em entrevista que seu filho quer visitar o túmulo da irmã mais velha. Isabella foi assassinada em 2008, aos 5 anos de idade, em um caso que comoveu o Brasil e condenou o pai e a madrasta da menina pelo crime.

(Foto: Reprodução/ Facebook)

Ana Carolina hoje é mãe também de Miguel, de 7, e de Maria Fernanda, de 3 anos.

“Ele falou para mim que quer ir no cemitério. Que ele quer conhecer lá, ele quer saber onde ela [Isabella] está (…). Talvez hoje ele esteja mais preparado do que se eu levasse ele muito antes.”

“Ele [Miguel] falou para minha cunhada essa semana que ele queria cavar, cavar, cavar, cavar, que ele queria dar um abraço nela [Isabella] e depois jogar [a terra] de novo assim, ó! Aí eu perguntei pra ele qual era a ideia dele pra ele fazer isso. E ele falou que só tinha vontade de dar um abraço nela. E eu falei… Eu também”, completou.

A conversa aconteceu com o podcaster Vilela, do Inteligência Ltda.

Isabella Nardoni foi encontrada morta no jardim do edifício London, na zona norte de São Paulo, no dia 29 de março de 2008. A menina passava o fim de semana com o pai, a madrasta e seus irmãos. A família havia saído para fazer compras no fim da tarde daquele sábado. Às 23h, um morador do condomínio acionou a emergência para informar que uma criança havia sido jogada do 6° andar do prédio.

Alexandre Nardoni, o pai da vítima, e Anna Carolina Jatobá, sua esposa, foram condenados pelo assassinato.

A madrasta, Anna Carolina Jatobá, foi considerada culpada por homicídio triplamente qualificado e condenada a 26 anos de prisão por ter matado a menina e jogado seu corpo da janela do apartamento. O pai da garota, Alexandre Nardoni, foi condenado pelo mesmo crime e pegou uma pena de 30 anos.

Após redução parcial da pena por trabalhar na prisão, Anna Jatobá migrou para o regime aberto em junho e deixou o presídio de Tremembé. Alexandre Nardoni continua preso.

Anúncio