Moradores de rua morrem durante noite mais fria do ano em São Paulo

Esta foi a madrugada mais fria em São Paulo desde 2004, com mínima de 3,2°C. A Prefeitura de São Paulo informou, por telefone, que não contabiliza mortes

São Paulo – O MEPSR-SP (Movimento Estadual das Pessoas em Situação de Rua) contabiliza, até a manhã desta sexta-feira (30), 16 mortes de moradores de rua devido às baixas temperaturas este ano. Mais três pessoas não resistiram ao frio de São Paulo nesta semana, segundo Robson César, fundador e presidente do movimento.

Moradores de rua morrem durante noite mais fria do ano em de São Paulo. (Foto: Estadão Conteúdo)

O óbito mais recente foi na manhã desta sexta, na Praça Oswaldo Cruz, na Bela Vista, região central, às 7h40. A vítima é Luiz Roberto Pinheiro Dorsa, de 37 anos. O caso foi registrado no 78ºDP, nos Jardins, como morte suspeita.

Outra morte aconteceu na manhã de quinta-feira (29). É uma mulher, de 44 anos, que foi encontrada morta em um campo de futebol na rua Alziro Pinheiro Magalhães, esquina com a avenida Dona Belmira Marin, no Grajaú, na zona sul da capital. O caso é investigado pelo 85º DP como morte suspeita.

A terceira morte nesta semana, considerada pela ONG, foi de Flávio Bastos, de 65 anos, encontrado às 23h desta quarta-feira (28), na rua Araguaia, 30, na região do Pari, no centro. Segundo Robson, a vítima vivia em situação de rua. O fundador diz que o homem foi encontrado ainda com vida e acredita que Flávio seja mais uma vítima das baixas temperaturas.

O policial que atendeu ao chamado informou que possivelmente a vítima morreu após passar mal e que não havia nenhum sinal de violência no corpo de Flávio. As investigações devem seguir pelo 12° Distrito Policial, no Pari, que é responsável pela área.

Esta foi a madrugada mais fria em São Paulo desde 2004, com mínima de 3,2°C. A Prefeitura de São Paulo informou, por telefone, que não contabiliza mortes, apenas atendimentos realizados aos moradores em situação de rua.

Anúncio