MS divulga ações para evitar propagação da Covid-19 em áreas indígenas

Atendimento deve ser rápido para evitar contágio por novo coronavírus

Brasília – O Ministério da Saúde anunciou uma série de medidas para evitar que populações indígenas sejam contaminadas pelo novo coronavírus (Covid-19). As ações constam do Plano de Contingência Nacional para Infecção Humana pelo novo Coronavírus em Povos Indígenas. O documento, apresentado a gestores, colaboradores e aos povos indígenas conta com orientações sobre como deve ser o atendimento em caso do novo coronavírus.

As ações constam do Plano de Contingência Nacional para Infecção Humana pelo novo Coronavírus em Povos Indígenas (Foto: Arquivo/ABr)

O plano lembra que casos suspeitos “terão prioridade no atendimento à população de modo a diminuir o tempo de contato com os indígenas presentes no local de atendimento”. O registro do atendimento deve ser feito no prontuário do paciente e também deverá ser inserido no Sistema de Informação da Atenção à Saúde Indígena (SIASI), “no menor tempo possível”.

“O Plano de Contingência ainda orienta as Equipes Multidisciplinares de Saúde Indígena (EMSI) e pede que os agentes indígenas de saúde e agentes indígenas de saneamento também recebam as informações para que possam ajudar na conscientização da comunidade sobre as medidas de prevenção e controle da doença, na identificação precoce de sinais e sintomas de Síndrome Respiratória Aguda Grave”, informou por meio de nota o Ministério da Saúde.

Segundo a pasta, os integrantes das equipes multidisciplinares devem também ser capazes de compreender o fluxo de encaminhamento dos casos suspeitos da Covid-19, bem como adotar as medidas de proteção individual diante de um caso suspeito.

Funai

Por meio de nota divulgada neste sábado (11), a Fundação Nacional do Índio (Funai) lamentou a morte do indígena Yanomami de 15 anos Alvaney Xiriana Pereira, da sub-etnia Xiriana, em decorrência da doença.

Alvaney estava internado no Hospital Geral de Roraima, onde faleceu no dia 9. Originário da comunidade Rehebe, o indígena teria apresentado os primeiros sintomas na Comunidade do Boqueirão. Segundo a Funai, equipes de saúde já estão no local para “auxiliar no mapeamento daqueles que mantiveram contato com o jovem, além de realizar o isolamento do grupo para melhor acompanhamento”.

Acesso aos indígenas

No documento, o ministério apresentou uma série de recomendações à Funai que, entre outros assuntos, aborda o acesso às terras indígenas. No ofício, pede ao órgão indigenista que adote “medidas restritivas à entrada de pessoas em todos os territórios indígenas devido à vulnerabilidade das populações indígenas às doenças respiratórias”.

Também foi recomendadas restrições de acesso a territórios habitados por povos isolados ou de recente contato, o que inclui a necessidade de quarentena para profissionais de saúde e membros da Funai antes do acesso a esses povos.

 

Anúncio