Mulher é presa por planejar a morte do marido que era guarda civil em SP

Suspeitos detidos seriam amante da esposa, cunhado e o irmão dela. Armas usadas no crime foram localizadas com os homens

São Paulo, SP – A esposa do guarda civil municipal de Embu das Artes, na Grande São Paulo, executado na madrugada desta sexta-feira (4) foi presa acusada de ser a mandante do crime. Ele foi atingido por mais de 20 tiros enquanto dormia. Manoel Pinheiro Teixeira Neto, de 42 anos, foi morto em casa, na Estrada Velha de Cotia, no Jardim Colonial.

Três suspeitos foram detidos acusados de envolvimento na execução do agente. Segundo a polícia, eles seriam o amante da esposa, o irmão do amante e o cunhado da vítima.

De acordo com a Polícia Militar, a esposa estava alimentando o filho do casal, quando ouviu os disparos vindos do quarto. Teixeira dormia no momento do crime. A vítima foi atingida com mais de 20 disparos, sendo a maioria na cabeça.

O SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) foi acionado, porém o óbito foi constatado no local.

Segundo a GCM do município, a arma particular do agente, uma pistola calibre 380, foi furtada há aproximadamente 15 dias. O criminoso não levou nada além da arma. Após a execução, o armamento de 9mm da corporação, que estava em posse de Teixeira, também foi levado.

A vítima foi atingida por tiros de dois calibres: 380 e 9mm. A suspeita, a princípio, é que a mesma pessoa que furtou a pistola executou o guarda.

Os objetos foram recuperados e apreendidos durante a prisão dos suspeitos.

*Com informações do R7

Anúncio