Pai é preso por asfixiar e jogar filho do 11° andar de prédio

Crime aconteceu em junho deste ano, mas foi registrado como suicídio. Após perícia, foi constatado que o homem matou a criança

São Paulo – Um homem foi preso por asfixiar e jogar o filho, de 10 anos, do 11° andar de um prédio localizado na rua Indaiá Grande, na Fazenda Aricanduva, zona leste de São Paulo, em junho deste ano.

De acordo com a Polícia Militar, o homem, identificado como Celestine Anyaso, matou o próprio filho para se vingar da ex-mulher que se recusou a reatar o relacionamento.

Pai é preso por asfixiar e jogar filho do 11° andar de prédio. (Foto: Reprodução)

Celestyne e a mãe da vítima viveram um relacionamento há cerca 11 anos, quando ela engravidou. Mesmo a contragosto, o nigeriano registrou a criança, chamada Hamilton.

Pouco tempo depois, Celestine foi preso por tráfico internacional de drogas. Ele ficou 10 anos preso, sem manter contato com a mulher e filho.

Em janeiro deste ano, Celestine foi solto e procurou a mulher, sob o pretexto de restabelecer laços com Hamilton. Ela aceitou a aproximação e foi ministrando visitas entre os dois. Em junho deste ano, a mãe deixou que o filho passasse um final de semana com o pai.

Pouco tempo depois de deixar Hamilton no apartamento do pai da criança, a mulher recebeu um telefonema de um amigo do nigeriano dizendo que a criança passou mal e foi encaminhada ao Hospital Santa Marcelina, onde morreu.

Celestine foi detido e ouvido pelas autoridades. Ele contou que estava no apartamento, quando ouviu um barulho no quarto. Segundo ele, quando entrou no cômodo, Hamilton estava sentado na janela, com as pernas do lado de fora.

Segundo o pai, o filho teria pedido desculpas e se jogado. O caso foi registrado preliminarmente como suicídio. Celestine, então, foi liberado da delegacia e desde então, não foi mais visto pela mãe da vítima.

Após o crime, o apartamento passou por perícia e a criança por exames necroscópicos. Depois de um mês, o resultado do laudo apontou vestígios de sangue no interior do apartamento. Além disso, revelou que a criança morreu por asfixia mecânica antes da queda.

Celestine fugiu ao ser considerado o principal suspeito de ter assassinado o filho e teve a prisão decretada.

Indignada, a mãe passou a procurar pelo culpado por conta própria e o achou nesta quinta-feira (16) no centro de São Paulo. Ela chamou a polícia e o nigeriano foi preso e encaminhado para o 8º distrito policial. Em breve será transferido para uma penitenciária.

Anúncio