PF extradita brasileira que traficava mulheres do RS para a Espanha

A mulher foi condenada por fazer parte de uma rede criminosa que enganava com oportunidade de falso trabalho

Espanha – A Polícia Federal extraditou na última quinta-feira (21), da Espanha para o Brasil, uma mulher condenada pela Justiça Federal no Rio Grande do Norte a 5 anos e 4 meses de reclusão, por tráfico internacional de pessoas mediante grave ameaça e fraude. O mandado de prisão foi expedido pela 14ª Vara/JF/RN.

(Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

A investigação que resultou nessa prisão remonta ao ano de 2006, quando foi instaurado inquérito policial que motivou a deflagração da Operação Cristal Vermelho, oportunidade em que a Polícia Federal passou a investigar a existência de uma rede criminosa destinada a selecionar e ludibriar jovens mulheres potiguares sob falso argumento de trabalharem como dançarinas em clubes espanhóis, mediante a proposta ilusória de ganharem muito dinheiro, quando na verdade, elas eram aqui aliciadas e enviadas para exploração sexual em boates da Espanha.

Condenada em 2018, a mulher teve o seu nome incluído na Difusão Vermelha da Interpol e passou a ser procurada. No início de 2023, ela foi localizada e presa pela polícia espanhola, mas foi solta provisoriamente e ficou desaparecida até o mês de novembro último, quando foi novamente localizada e detida naquele país.

Escoltada do exterior por policiais federais, a envolvida desembarcou no aeroporto internacional Aluízio Alves em São Gonçalo do Amarante/RN e foi submetida a exame de corpo de delito no Instituto Técnico-Científico de Perícia (ITEP), antes de seguir, sob custódia, para o Centro de Detenção Provisório de Parnamirim, onde se encontra à disposição da Justiça.

Anúncio