PF investiga superfaturamento de oxigênio destinado aos Yanomami

A suspeita é de que 89,89% do valor pago pelos oxigênios não tenha sido entregue ao órgão indigenista

Boa Vista –  A Polícia Federal deflagrou, nesta quarta-feira (6), a operação Hipóxia, em parceria com a Controladoria-Geral da União (CGU) e com o Ministério Público Federal (MPF). O objetivo é apurar suspeita de superfaturamento na execução de um contrato para serviços de recarga de oxigênio ao Distrito Sanitário Especial Indígena – Yanomami (DSEI-Y).

(Foto: Divulgação PF)

As investigações iniciaram a partir de uma denúncia recebida pelo MPF. Com o apoio da CGU, foram identificadas várias irregularidades em uma contratação de serviços de recarga de oxigênio destinado aos Yanomami. Há indícios de direcionamento do resultado do certame, bem como atesto de notas fiscais fraudulentas.

De acordo com as investigações, a suspeita é de que 89,89% do valor pago pelos oxigênios à empresa vencedora não tenha sido entregue ao órgão indigenista.

São cumpridos 10 mandados de busca e apreensão em Boa Vista/RR expedidos pela 4ª Vara Federal Criminal em Roraima.

Anúncio