PF prende boliviana investigada por acidente de avião da Chapecoense

Funcionária foi denunciada por autoridades colombianas após aprovar plano de voo de viagem com combustível insuficiente

São Paulo – A Polícia Federal prendeu nesta quinta-feira (23) a boliviana foragida Celia Castedo, que foi responsável pela aprovação do plano de voo que matou 71 pessoas, incluindo diversos jogadores da Chapecoense, em novembro de 2016.

(Foto: Reprodução / Twitter)

Ela ficará presa em Corumbá (MS), até que a Polícia Federal cumpra a burocracia para realizar sua extradição. A boliviana era especialista em segurança de voo e e é investigada por ter aprovado o plano de voo da viagem.

Após o acidente, ela foi denunciada formalmente por autoridades bolivianas junto com outros funcionários da empresa de viagens La Mia, que não colocaram combustível o suficiente para a viagem.

Na época, Celia afirmou que alertou a companhia aérea sobre o baixo nível de combustível, o que não foi considerado pela empresa. Ela, porém, acabou aprovando o plano de voo. Posteriormente, a boliviana disse que foi forçada a alterar o conteúdo do informe da viagem e pediu refúgio no Brasil.

Anúncio