PT afasta vereador que abriu caixão de idoso com facão; veja vídeo

O vereador violou caixão para provar que idoso de 92 anos não morreu por Covid-19

Minas Gerais – O diretório do Partido dos Trabalhadores em Minas Gerais vai afastar um vereador que abriu o caixão de um idoso para tentar mostrar que a vítima não tinha morrido devido à Covid-19. William Faria é parlamentar na cidade de Santa Bárbara do Leste, a 290 km de Belo Horizonte e será afastado pela legenda durante a investigação do caso.

O caso ganhou repercussão com o compartilhamento de um vídeo nas redes sociais pelo próprio parlamentar. Nas imagens, William aparece com um facão e viola o caixão do idoso, que estava lacrado. A gravação mostra que o vereador, primeiro, abre apenas uma tampa da urna. Em seguida, ele pega o facão e abre todo o caixão.

De acordo com o vereador, o homem de 92 anos teria sido enterrado como vítima de Covid-19, mas a ficha de inscrição no cemitério relatava como causa da morte “insuficiência respiratória”.

O vereador violou caixão para provar que idoso de 92 anos não morreu por Covid-19 (Foto: Reprodução / Redes Sociais)

De acordo com o presidente do diretório estadual do PT, o deputado estadual Cristiano Silveira, o parlamentar cometeu falta gravíssima.

— O vereador cometeu uma falta gravíssima e por isso será suspenso imediatamente e responderá a processo disciplinar interno que poderá, e deverá, culminar com sua expulsão definitiva.

Em nota, a direção executiva do partido classificou o fato como “lamentável” e reforçou que o procedimento de lacre do caixão é uma determinação sanitária do Ministério da Saúde e da Secretaria de Estado de Saúde.

“Num dos momentos mais delicados vividos por toda a população mineira e brasileira em função da pandemia do novo coronavírus, a atitude do vereador representa uma ação violenta e desnecessária, além de ser uma grave ameaça à segurança sanitária”, diz o PT-MG, em nota.

Investigação

A Polícia Civil de Minas Gerais abriu um inquérito para apurar o caso para avaliar se o parlamentar infringiu medida sanitária preventiva. O crime é previsto no artigo 268 do Código Penal, com pena de até um ano de prisão e pagamento de multa.

Ainda de acordo com a corporação, o atestado de óbito do idoso não consta covid-19, uma vez que os exames ainda não teriam sido concluídos. Por isso, segundo a polícia, o sepultamento com o corpo lacrado foi correto.

A Prefeitura de Santa Bárbara do Leste, informou que “a situação está sendo investigada junto ao Hospital Casu e à funerária responsável”.

“É importante ressaltar que os protocolos referentes a sepultamento são estabelecidos pelo Estado de Minas Gerais. Uma representante da Vigilância Sanitária está acompanhando o caso. A Prefeitura de Santa Bárbara do Leste lamenta a morte e se solidariza com familiares e amigos”, completou a administração municipal em nota.

A Câmara Municipal também lamentou o caso e informou que o ocorrido será investigado em uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito). A reportagem tenta contato com Faria. Pelas redes sociais, ele criticou a decisão da Câmara de instaurar uma CPI para investigar sua postura.

Veja vídeo:

Anúncio