Relatório revela exaustão emocional e ansiedade entre colaboradores no Brasil

Dados apontam que 31% dos colaboradores sentem esgotamento emocional após o expediente

São Paulo –  O ‘Relatório de Saúde Organizacional’, focado na análise do bem-estar emocional nas empresas brasileiras evidencia que muitos colaboradores enfrentam níveis significativos de exaustão emocional e preocupação: em 2023, 31% dos participantes relataram exaustão emocional quase diária ao final do expediente, enquanto 22% enfrentavam dificuldades para controlar suas preocupações quase todos os dias ou todos os dias.

(Foto: Divulgação Gupy)

Este relatório surge como uma resposta ao desafio enfrentado no Brasil, onde os transtornos mentais se destacaram como a terceira maior causa de afastamento do trabalho em 2021, conforme relatado pelo Observatório de Segurança e Saúde do Trabalho.

Os dados coletados evidenciam que muitos colaboradores enfrentam níveis significativos de exaustão emocional e preocupação: em 2023, 31% dos participantes relataram exaustão emocional quase diária ao final do expediente, enquanto 22% enfrentavam dificuldades para controlar suas preocupações quase todos os dias ou todos os dias. Além disso, 33% das pessoas sentiram a necessidade de provar seu valor no trabalho quase todos os dias em 2023, e 49% sentiram medo sem motivo aparente pelo menos uma vez ao mês no mesmo ano.

Observou-se uma queda de 3,6% no score geral de bem-estar emocional das empresas participantes entre setembro de 2021 e final de 2022, de acordo com dados da solução Clima & Engajamento da Gupy. Em 2023, a média de bem-estar emocional das empresas se manteve em nível de atenção, indicando a persistência da problemática.

O relatório também destaca uma forte correlação entre o bem-estar emocional e o engajamento dos colaboradores, onde altos níveis de exaustão emocional se associam a baixos índices de engajamento. Esta relação foi observada com um coeficiente de correlação de 0.84. Além disso, uma correlação de 0.67 entre Engajamento e Medo e Preocupação foi identificada, reforçando a importância de abordar essas questões de forma abrangente.

“O Brasil lidera os índices de rotatividade nas empresas em todo o mundo. De acordo com o CAGED, a média brasileira é de 56% de turnover, superando países como França (51%) e Bélgica (45%). E é inegável que a saída voluntária de pessoas está diretamente relacionada ao engajamento e fatores como condições e equilíbrio entre vida pessoal e trabalho. A priorização de estratégias de engajamento e employee experience são alavancas poderosas para reduzir turnover e aumentar a produtividade organizacional, independente do setor ou tamanho da empresa”, compartilha Guilherme Dias, CMO e cofundador da Gupy.

Diante deste cenário preocupante, é essencial que as empresas adotem medidas para promover o bem-estar emocional de seus colaboradores. Nesse sentido, a plataforma Gupy Clima & Engajamento se apresenta como uma solução completa, fornecendo dados, insights coletados a partir de pesquisas rápidas semanais ou quinzenais, e trazendo recomendações para RH e pessoas gestoras construírem uma cultura organizacional voltada ao bem-estar e engajamento dos colaboradores.

A pesquisa sobre Bem-estar Emocional conduzida pela Gupy e Vittude contou com a participação de 3.196 colaboradores de 91 empresas brasileiras, durante o período de setembro de 2021 a outubro de 2023, com 44% dos participantes sendo do gênero feminino, 41% masculino e 15% não especificado. Esta amostra é composta por 44% da Geração Y, 24% da Geração Z e 13% da Geração X.

Anúncio