‘Rompimento foi local’, afirma prefeito de Maceió sobre mina da Braskem

Segundo a Defesa Civil Municipal, a região foi desocupada há alguns dias, por isso não há nenhum risco para os moradores

Maceió- O prefeito de Maceió, João Henrique Caldas (PL), afirmou que o rompimento da mina número 18 da Braskem, no bairro Mutange, “foi concentrado e local”. A declaração foi feita durante coletiva de imprensa na noite deste domingo (10).

(Foto: Filipe Valões/ Secom Maceió)

“Nós sobrevoamos e vimos ali uma movimentação, um fluxo de lama naquela região da mina 18 […] As pessoas que estão morando nessas comunidades e em outras áreas podem ficar tranquilas. Não há nenhum estudo nosso que aponte esse fenômeno para um colapso dessa magnitude”, disse o gestor municipal.

Nesta tarde, Caldas sobrevoou a área com o presidente da Câmara de Vereadores de Maceió, o senador Rodrigo Cunha, o secretário municipal de Comunicação e o coordenador da Defesa Civil.

O prefeito de Maceió também informou que montou um gabinete de crise com mais de 300 servidores. Mais 2 mil funcionários estão em alerta para o caso de ser necessário acioná-los.

Rompimento da mina

Neste domingo, a mina 18 da Braskem sofreu um rompimento, às 13h15, no trecho da lagoa próxima ao bairro de Mutange.

Em boletim divulgado às 9h, a Defesa Civil municipal informou que o local manteve o ritmo de afundamento nas últimas 12 horas, com a velocidade da erosão caindo de 0,54 cm para 0,52 cm por hora.

Nas últimas 24 horas, o deslocamento vertical de terra foi de mais 12,5 cm. Desde o início da crise na mina 18, o chão já afundou 2,35 m, segundo a Defesa Civil.

O Ministério Público Federal também declarou que exigirá o cumprimento das cláusulas dos acordos que obrigam a Braskem a adotar providências específicas, como a contratação de empresa especializada para realizar um diagnóstico ambiental e plano ambiental para mitigar, compensar e reparar eventuais danos ambientais provocados pelo evento.

Veja nota da Braskem na íntegra:

Às 13h15 deste domingo, câmeras que monitoram o entorno da cavidade 18 registraram movimento atípico de água na lagoa Mundaú, no trecho sobre essa cavidade. Toda a área, que vem sendo monitorada nos últimos dias, já estava isolada. Movimento semelhante ocorreu por volta das 13h45. O sistema de monitoramento de solo captou a movimentação por meio de DGPS instalados na região. As autoridades foram imediatamente comunicadas, e a Braskem segue colaborando com elas.

Anúncio