Veja o que se sabe sobre a estudante de medicina suspeita de desviar dinheiro de formatura

A estudante é investigada pelos crimes de apropriação indébita, estelionato e lavagem de dinheiro

São Paulo – A estudante da Universidade de São Paulo (USP) Alicia Dudy Muller Veiga, 25, é investigada pela Polícia Civil pelo desvio de quase R$ 1 milhão da comissão de formatura, que seria usado para custear a festa dos formandos. Veja abaixo o que se sabe sobre o crime e a investigada.

blank

(Foto: Reprodução – USP)

Quem é a suspeita?

Alicia ingressou na Faculdade de Medicina da USP em 2018 e era presidente da comissão de formatura da Turma 106ª.

Segundo o Currículo Lattes, ela se formou na Escola Técnica Estadual Getúlio Vargas, no Ipiranga, zona sul da capital, em 2014.

Como o dinheiro desapareceu?

Nesta semana, alunos da Turma 106ª da Faculdade de Medicina denunciaram um golpe que teria sido aplicado por Alicia contra eles. Eles relataram que juntaram mais de R$ 920 mil ao longo de quatro anos de curso para garantir a realização da festa, porém o dinheiro desapareceu.

A empresa ÁS Formatura foi contratada pela comissão para arrecadar os valores dos formandos e, posteriormente, transferir para a turma. Alicia conseguiu retirar todo o montante sozinha, de acordo com os denunciantes.

Um dos estudantes registrou o boletim de ocorrência, com a natureza de apropriação indébita, no 14° Distrito Policial de Pinheiros, na terça-feira (10). O caso está sendo investigado pelo 16° DP da Vila Clementino.

O que a investigada afirma aos colegas?

Em um grupo de WhatsApp da turma, a jovem confessou que retirou o dinheiro da ÁS Formatura para investi-lo com o auxílio de uma empresa especializada. Entretanto, segundo Alicia, a investidora desapareceu com cerca de R$ 800 mil, e o valor restante do fundo da formatura foi gasto com um advogado na tentativa de reaver o dinheiro.

Qual é o posicionamento da empresa?

Questionada sobre como a estudante conseguiu retirar todo o dinheiro sozinha, a ÁS Formatura afirmou que “todas as transferências foram realizadas rigorosamente conforme estabelecido nas cláusulas contratuais”. A empresa também disse está em “contato com a comissão de formatura para buscar algum tipo de solução que viabilize a realização do evento planejado”.

A ÁS Formatura foi notificada pelo Procon-SP?

O Procon-SP notificou a Ás Formaturas, após o caso de desvio de quase R$ 1 milhão do fundo da comissão. O órgão pede à empresa explicações sobre quem autorizou a transferência dos valores e quais foram os critérios estabelecidos para a movimentação do dinheiro. Os esclarecimentos devem ser encaminhados até quinta-feira (19).

O que diz a Faculdade de Medicina?

A diretoria da Faculdade de Medicina confirmou, por meio de nota, que os alunos foram vítimas de fraude após investimento para a celebração da formatura, que ocorrerá no fim de 2023. “Os fatos estão sendo apurados, buscando-se identificar os responsáveis pela fraude, e a diretoria está apoiando na orientação aos alunos envolvidos”, reforçou a entidade.

Alicia é investigada por outros crimes?

A aluna também é investigada pelos crimes de estelionato e lavagem de dinheiro contra uma lotérica localizada em Mirandopólis, bairro da zona sul de São Paulo, pela Delegacia Especializada em Investigações Criminais (Deic) de São Bernardo do Campo.

De acordo com o boletim de ocorrência, a jovem realizou uma sequência de apostas na modalidade “Lotofácil”, desembolsando o total de R$ 461 mil, no ano passado. A origem do dinheiro ainda está sendo apurada pela Polícia Civil.

Em 12 de julho, a estudante tentou realizar uma aposta em valor superior a R$ 891 mil. Estranhando o valor alto do jogo, a gerente da lotérica questionou como o pagamento seria realizado. Alicia, então, respondeu que agendaria um pagamento via Pix, “lubridiando” a funcionária, segundo o boletim de ocorrência. No fim, ela pagou apenas R$ 891,93, e conseguiu sair com as apostas — sendo 5 jogos de 20 dezenas — que totalizam R$ 193,8 mil de prejuízo para a lotérica.

Os crimes têm relação?

Segundo a delegada Kátia Regina Cristófaro, da Deic de São Bernardo, ainda é cedo para afirmar que os casos do golpe da formatura e da lotérica estão relacionados, mas a possibilidade não é descartada.

Por enquanto, a aluna de medicina ainda não prestou depoimento na delegacia. Este será o último passo para a Polícia Civil. A delegada ainda vai solicitar a quebra do sigilo bancário para descobrir a origem do dinheiro.

Alicia já recebeu auxílio emergencial?

A estudante de medicina recebeu R$ 3.000 do auxílio emergencial do governo federal, benefício criado para garantir renda mínima às pessoas em situação de vulnerabilidade. A acusada recebeu o valor em cinco parcelas de R$ 600, entre junho e novembro de 2020. As informações estão disponíveis no site do Portal da Transparência.

Anúncio