Acordo recupera R$ 1,4 bi retirado das universidades

Deputados questionaram o prejuízo para a área de educação com o remanejamento dos recursos

Brasília – Um acordo entre representantes do Congresso Nacional e do Executivo poderá recuperar cerca de R$ 1,4 bi para universidades e institutos federais de ensino. A ideia é incluir esses recursos no Projeto de Lei do Congresso (PLN) 29/2020, retirado de pauta da sessão do Congresso realizada na última quarta-feira, 4. Um dos projetos aprovados na sessão de quarta foi o PLN 30/2020, que abre crédito suplementar de quase R$ 6,1 bilhões destinado a oito ministérios. Muitos parlamentares, no entanto, reclamaram que o remanejamento desse PLN estava retirando o valor de R$ 1,4 bi das universidades e dos institutos de ensino. Deputados questionaram o prejuízo para a área de educação com o remanejamento dos recursos. Durante a reunião dos deputados, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre, que também dirige o Congresso, informou a retirada do PLN 29/2020, que originalmente destina crédito suplementar de R$ 48,3 milhões para os ministérios da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, do Desenvolvimento Regional e do Turismo.

Saúde
A Universidade Federal do Amazonas (Ufam) e o Instituto de Tecnologia e Educação Galileo da Amazônia (Itegam) criaram a Unidade de Terapia Intensiva 4.0. Sistema de Assistência Emergencial à Saúde, baseado em uma plataforma móvel e de baixo custo que agrega sistemas hospitalares em um único Sistema Integrado.

Gastos
A Agência Amazonense de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental (Aadesam) publicou extrato para contratar a empresa Pole Position Tecnologia Ltda., por R$ 263 mil, para adquirir seis veículos de tração mecânica.

Transporte
Em Barcelos, a promotora de Justiça Karla Cristina da Silva Sousa instaurou procedimento para apurar a notícia de fato que trata de má conservação de uma lancha escolar média, do município de Barcelos, adquirida com recursos do FNDE para prestar serviço de transporte escolar do município.

Nota
A Comissão de Defesa e Proteção dos Direitos da Mulher, da Câmara Municipal de Manaus, publicou uma nota para manifestar “repúdio e indignação ao caso da humilhação e constrangimento sofridos pela catarinense Mariana Ferrer, de 23 anos”.

Julgamento
Sobre caso citada pela Comissão, o empresário André de Camargo Aranha acusado de estuprar a jovem, em uma boate no ano de 2008, foi absolvido, mesmo com todas as provas apontando para o crime.

Anúncio