Anvisa faz gestões com laboratório da vacina Sputnik

De acordo com a Agência, o grupo à frente da vacina russa ainda não entrou com o pedido de autorização emergencial

São Paulo – Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) se reuniu com representantes da União Química, laboratório brasileiro que participa do consórcio envolvido na produção da vacina Sputnik V, desenvolvida pelo Instituto Gamaleya, da Rússia. De acordo com a Agência, o grupo à frente da vacina russa ainda não entrou com o pedido de autorização emergencial. As organizações participantes do consórcio já divulgaram a intenção de entrar com a solicitação. Mas, acrescenta a nota da Anvisa, o laboratório demonstrou interesse em apresentar a solicitação, o que colocaria a possibilidade real de uma terceira vacina ser oferecida no país. Atualmente a Anvisa já forneceu a autorização para uso emergencial para as vacinas da Astrazeneca/Oxford/Fiocruz e do Instituto Butantan/Sinovac.

A Anvisa informou que a União Química também não apresentou novos documentos. No domingo (17), a agência havia recusado o envio de material do consórcio apontando a insuficiência do cumprimento de requisitos.

Nomes

O prefeito David Almeida disse não ter tempo a perder e checar os nomes de todos os nomeados pelos seus secretários, atribuição do gestor de cada pasta, a quem ele disse confiar em todos e espera eficiência.

Oxigênio

O Ministério Público do Trabalho (MPT-AM), em parceria com o MPT da 15ª Região (Campinas – SP), entregou 120 concentradores de oxigênio para serem utilizados nas unidades de saúde dos municípios do Amazonas.

Retirado

O Ministério da Saúde retirou do ar o app TrateCOV. Segundo o governo, “o sistema foi invadido e ativado indevidamente – o que provocou a retirada do ar, que será momentânea”.

Barragem

O governo mineiro rejeitou os valores propostos pela mineradora Vale, responsável pelo rompimento da barragem de Brumadinho, que causou impactos socioambientais em diversos municípios.

Anúncio