Bird estuda liberar recurso bilionário para desafogar AM

O Banco Mundial (Bird) estuda um financiamento de U$250 milhões, o equivalente a pouco mais de R$1 bilhão pleiteado pelo Estado

Brasília – O Banco Mundial (Bird) estuda um financiamento de U$250 milhões, o equivalente a pouco mais de R$1 bilhão pleiteado pelo Estado para aplicar nas áreas de meio ambiente e ainda o equilíbrio fiscal, além de recursos para desafogar os críticos gargalos da saúde do Amazonas. O projeto, que deve ser concluído até janeiro de 2020, seguirá para a fase de modelagem do impacto fiscal e da abrangência que terá nos demais setores. O pedido está nas mãos do coordenador do projeto de financiamento e do programa para o desenvolvimento sustentável e infraestrutura do Bird, Renato Nardello. A equipe do governo tenta mostrar a capacidade do Estado de honrar o compromisso junto ao Bird com os dados da arrecadação para reduzir os encargos dos juros com menor exposição ao risco. À frente do grupo de trabalho que irá atuar na área de equilíbrio fiscal, o controlador-geral do Estado, Alessandro Moreira, destacou a parceria com o Banco Mundial no sentido de fornecer subsídios para soluções já vistas em outros lugares do mundo.

Naturalidade

Chamou a atenção dos jornalistas a naturalidade com a qual o diretor do Departamento de Polícia Metropolitana (DPM), George Gomes, tratou o assassinato de Fernanda Caroline Chaves, a ‘Barbie do Tráfico’, encomendando pela Facção do Norte (FDN).

‘Traidora’

A ‘Barbie do Tráfico’ foi morta porque decidiu integrar uma facção adversária à FDN, e ao admitir com detalhes o plano do assassinato, George Gomes mostrou o descontrole no combate ao crime organizado.

Amistoso

A menos de um mês no cargo, o secretário de Educação, Vicente Nogueira, tem procurado realizar uma gestão amistosa. Ele assumiu em meio a uma grande turbulência na secretaria e, até o momento, preferiu não fazer mudanças no segundo escalão.

A pedido

A única mudança que houve na administração de Nogueira foi a do ex-vereador Bibiano Garcia (REDE), que, por decisão própria, decidiu deixar o cargo de secretário executivo de Educação.

Ex-nanico

Considerado um partido nanico em todas as eleições, o PSC do governador Wilson Lima está com a meta de filiar, pelo menos, 30 mil pessoas, de olho nas eleições de 2020.

Anúncio