‘Caso Flávio’: drama familiar e o oportunismo político

A pirotecnia em torno da morte do engenheiro Flávio Rodrigues, 42, revelou que a corrida pelo poder na política não tem limites

Manaus – A pirotecnia em torno da morte do engenheiro Flávio Rodrigues, 42, nos últimos oito dias, revelou que a corrida pelo poder na política não tem limites. De um lado, a dor dos familiares que perderam o engenheiro Flávio Rodrigues, respeitado pelo exemplo que dava no trabalho e em casa. Do outro, mães de jovens dependentes químicos, que lutam diariamente contra um vício que não escolhe classe social, nem conta bancária. Em meio a toda a tragédia, está a figura de um político, o prefeito Arthur Neto (PSDB), ex-senador da República, que deixou um legado histórico no cenário político nacional e que, agora, é atacado por opositores que, verdadeiramente, não estão preocupados na punição dos culpados, mas de olho no enfraquecimento de um líder político que tem consigo a chance de fazer um sucessor no próximo pleito para administrar uma capital que contará com um orçamento de, aproximadamente, R$ 7 bilhões/ano, em 2021. Independentemente do que apontar a investigação, nos próximos dias, há de se avaliar a importância de se separar Justiça de oportunismo.

Passa a chave

Criada sob o argumento de reduzir burocracias, a Lei Delegada do Estado que dá poderes ao chefe do Executivo de extinguir ou criar secretarias continua causando polêmica. O deputado Wilker Barreto (Podemos) disse que é “melhor fechar logo a Assembleia e passar a chave para o governo”.

Medida usual

Apesar das críticas, a legislação foi usada por antecessores ao governador Wilson Lima (PSC). Quando administraram o Amazonas, os senadores Eduardo Braga (2003-2010) e Omar Aziz (2010-2014) fizeram uso do instrumento pelo menos uma vez em seus mandatos.

Pleito tutelar

As eleições do Conselho Tutelar acontecem neste domingo (6), das 8h às 17h. Em Manaus, o pleito vai contar com a participação de 3 mil trabalhadores de órgãos municipais, além do apoio do Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM).

Reflexo em 2020

Quem for votar para Conselho Tutelar é importante entender o reflexo das escolhas nas eleições municipais de 2020. É que os conselheiros tornam-se importantes “cabos eleitorais” de candidatos a vereadores e até nas candidaturas majoritárias pela influência passam a exercer nos bairros.