Enquanto gabinete tem PM, há falta de Segurança e Saúde

Mesmo na recente crise política, quando três governadores assumiram no período de ano o comando do Amazonas, a sociedade não presenciou tal descontrole no Estado, como hoje ocorre, em apenas oito meses de gestão

Manaus – Pelo menos um seleto núcleo não será afetado pela falta de segurança com a ausência nas ruas de policiais militares que aderiram a falta coletiva. Trata-se do gabinete do governador Wilson Lima, que conta com 140 policiais militares para dar o suporte ao comandante em chefe, que enfrenta grave crise de governo.

A união das categorias contra o congelamento de salários e promoções é notória pela insatisfação geral dos servidores e prestadores de serviço. É o caso da precariedade na Saúde, cujas entidades médicas prestadoras de serviço estão sem receber e suspendem cirurgias.

Na Educação, após cruzarem os braços por 40 dias, professores e pedagogos aderem ao novo movimento que ameaça deixar o ano letivo mais complicado. No setor de Segurança Pública, há uma união de policiais militares e civis em torno da mesma agenda. Mesmo na recente crise política, quando três governadores assumiram no período de ano o comando do Amazonas, a sociedade não presenciou tal descontrole no Estado, como hoje ocorre, em apenas oito meses de gestão.

Dentes 1

A Câmara dos Deputados reembolsou o deputado pastor Marco Feliciano (Podemos-SP) em R$ 157 mil referentes a um tratamento odontológico. O parlamentar argumentou que precisava corrigir um problema de articulação na mandíbula e reconstruir o sorriso.

Dentes 2

Feliciano confirmou o valor do tratamento dentário e disse que sofria de bruxismo dizendo: “Sou político e boca é minha ferramenta”.

Concorrência

Após a Secretaria de Estado de Educação (Seduc) resolver lançar edital para a contratação de empresa fornecedora de merenda escolar, a especulação de algumas prestadoras de serviço se volta para a concorrente Tupã.