Frente parlamentar defende regularização de jogos de azar

Para o coordenador da frente, deputado Bacelar (Pode-BA), não há razão para proibir jogos de azar no Brasil. Para o parlamentar, os jogos podem contribuir à retomada da economia

Manaus – Frente parlamentar lançada esta semana na Câmara tem como objetivo aprovar o projeto de lei que cria um marco regulatório para os jogos de azar no Brasil (PL 442/91). Para o coordenador da frente, deputado Bacelar (Pode-BA), não há razão para proibir jogos de azar no Brasil. Isso porque, mesmo com a proibição, os brasileiros jogam muito, e Bacelar estima que a prática movimente mais de R$ 60 bilhões por ano. Para o parlamentar, os jogos podem contribuir à retomada da economia. Pelos dados da frente, o segmento dos jogos gera 650 mil empregos direitos e 600 mil indiretos. Além disso, de acordo com o deputado, a atividade, se regulamentada, pode gerar cerca de R$ 18 bilhões de impostos para o País. O parlamentar ressaltou que na América Latina apenas a Bolívia e o Brasil ainda não legalizaram os jogos de azar. Ele lembrou que a proibição da prática dos jogos de aposta vem desde 1946. A proposta defendida pela frente parlamentar, que regulamenta jogos de azar no Brasil, já foi aprovada por comissão especial e está pronta para votação no Plenário.

Garantias 1

O presidente da Associação Amazonense do Ministério Público (AAMP), promotor Lauro Tavares, defendeu, nesta quarta-feira (8), a manutenção das garantias e prerrogativas dos membros do Ministério Público Estadual e Nacional.

Garantias 2

Para Lauro Tavares, a proposta de emenda à Constituição (PEC), que tramita no Senado, vai na contramão de todos os direitos já adquiridos pela categoria ao longo de anos.

Debate

A participação de servidores do Estado em cursos de aperfeiçoamento e capacitação da Escola Governar cresceu 70% em relação ao ano passado. Na quinta, 09,a Sead lança um catálogo com todos os cursos que serão realizados até o fim do ano.

Combustível

Em Ipixuna, a prefeitura homologou a contratação da empresa Estrela de Ipixuna Comércio de Combustíveis, por R$ 2.727.013,78 para fornecimento de combustíveis e derivados do petróleo, destinados atenderem as necessidades básicas das secretarias municipais e demais órgãos da administração.