Funai transforma linhão de energia em caso de polícia

No dia 12 de maio, a Polícia Federal abriu inquérito, após ser acionada para investigar lideranças indígenas e nove servidores da própria Funai

Manaus – O presidente da Fundação Nacional do Índio (Funai), Marcelo Xavier, decidiu transformar o processo de licenciamento ambiental de uma obra de transmissão de energia em investigação policial. No dia 12 de maio, a Polícia Federal abriu inquérito, após ser acionada por Xavier, para investigar lideranças indígenas e nove servidores da própria Funai, sob a acusação de que atuariam para colocar “diversas barreiras e entraves à aprovação” do projeto, que prevê a instalação de uma rede de alta tensão entre Manaus e Boa Vista (RR). O inquérito surpreendeu não apenas os funcionários da Funai, mas também a equipe do próprio governo federal, que atua diretamente nos processos de concessão e estava em etapa final da articulação com povos indígenas da região, para chegar a um acordo sobre a passagem da linha. Do total de 721 km previstos no traçado da rede prevista para ser erguida ao lado da BR-174, rodovia que liga as duas capitais, 125 km passam dentro da terra indígena Waimiri Atroari, onde vivem mais de 2,1 mil índios em 56 aldeias.

‘PHD’

Na live semanal transmitida ontem, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que o senador pelo Amazonas Omar Aziz é PHD em desvio de dinheiro. “O Omar Aziz sabe o que é desvio de recursos, é PHD em desvio de recursos lá no Estado do Amazonas. A Polícia Federal andou visitando ele, a questão da família dele”

Apuração 1

O Ministério Público do Amazonas (MP-AM) instaurou procedimento administrativo para acompanhar o funcionamento do Serviço de Atenção Domiciliar Melhor em Casa na cidade de Manaus.

Apuração 2

Uma denúncia apresentada ao MP-AM aponta possível “deficiência na atuação de empresa contratada pelo Programa Melhor em Casa, oferecido pelo governo do Estado do Amazonas”.

Anúncio