Governo federal quer vender R$ 150 bi em participações em empresas em 2020

Medida se dá depois de o governo levantar cerca de R$ 105,4 bilhões com desestatizações ao longo do ano passado

Brasília – Depois de levantar cerca de R$ 105,4 bilhões com desestatizações ao longo do ano passado, o governo pretende vender R$ 150 bilhões em empresas neste ano, disse nesta terça-feira (14) o secretário especial de Desestatização, Desinvestimento e Mercados do Ministério da Economia, Salim Mattar.

Foto: Divulgação/ABr

‘Caixa 2’

O Comitê do Amazonas de Combate à Corrupção e ao Caixa Dois Eleitoral ingressou, ontem (14) junto ao Ministério Público do Estado do Amazonas com representação para apurar e fiscalizar o uso de recursos oriundos das emendas parlamentares impositivas.

Desequilíbrio

O objetivo da medida é evitar possíveis desequilíbrios nas eleições municipais 2020. O pedido tem como foco as Câmaras de Vereadores e às Prefeituras da capital e do Interior do Estado do Amazonas.

Pré-candidato

O Conselho de Desenvolvimento Econômico, Sustentável e Estratégico de Manaus (Codese) realiza nesta sexta-feira, 17, a solenidade de posse do novo presidente, o empresário Romero Reis, pré-candidato a prefeito de Manaus pelo partido Novo.

Posse no Codese

Romero substitui o também empresário Antonio Azevedo no cargo para o biênio 2020-2021. O evento acontecerá a partir das 16h, no auditório Auton Furtado, na Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (Fieam), localizado na avenida Joaquim Nabuco, 1919, Centro.

PSB e projetos

O PSB informou que começou a montar um projeto político visando as duas próximas eleições de 2020 e até de 2022. O partido trouxe de volta o perito da Policial Federal Júnior Brasil, que disputou o cargo de vice-governador em 2014, para reforçar as candidaturas de vereadores.

Uma incógnita

Ao apresentar Júnior Brasil, os comandantes do PSB, no Amazonas, o deputado estadual Serafim Correa e o vereador Marcelo Serafim não se pronunciaram sobre candidatura.

O governo pretende contratar temporariamente cerca de 7 mil militares da reserva para reforçar o atendimento nas agências do INSS (Foto: Divulgação/INSS)

Anúncio