Linchamento: o aval dado pelo povo para ‘justiceiros’

O assunto vem à tona após Ronald Gomes Borges, 28, ter sido retirado da cadeia em que estava e esquartejado por pelo menos 15 pessoas, em Fonte Boa, onde estuprou e matou uma menina de dez anos

Manaus – Nos últimos cinco anos, o Amazonas registrou, em média, cerca de dez casos de linchamento na capital e interior, por ano, contra criminosos suspeitos, de acordo com dados obtidos em matérias jornalísticas. O assunto vem à tona após Ronald Gomes Borges, 28, preso em flagrante na última quinta-feira (16) por estuprar e matar a menina Elcleciane Nascimento Duarte, 10 anos, no município de Fonte Boa, ter sido retirado da cadeia em que estava e esquartejado por pelo menos 15 pessoas, na área urbana da cidade. Dentro da Psicologia moderna, a mentalidade de quem se junta a outras pessoas para tirar uma vida, além de covarde pela inevitável força conjunta, é tão diabólica e criminosa quanto de quem praticou o crime de origem. Na esfera social, a prática, conforme historicamente provado, não resolve o problema da criminalidade em sua base, e reforça a violência em um meio social no qual as esperanças e respeito pela Justiça já se perderam e resta à população dar aos tais ‘justiceiros’ um aval que pode torná-los mais poderoso do que o próprio Estado.

Facção suspeita

Uma investigação inicial do Departamento de Polícia do Interior (DPI), vinculado à Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM) apontou que não foram ‘homens de bem’ que tiraram a vida de Ronald Gomes, mas integrantes de uma facção.

‘Cidadão de bem’

Em entrevista, o diretor do DPI, Mariolino Brito, se negava a acreditar que o assassinato em grupo de Ronald tenha sido praticado por pessoas comuns. “Cidadão de bem não tem prática em cortar corpo e queimar na rua. Esse ato é uma ação de pessoas ligadas a facções”, afirmou.

‘Circo de horror’

O vídeo com a morte do suspeito de estuprar e matar a menina Elcleciane Nascimento, em Fonte Boa, viralizou nas redes sociais durante o fim de semana e nesta segunda-feira (20), ficando entre os assuntos mais comentados na internet, no Amazonas.

Aluguel milionário

Após registrar preço para contratar R$ 591 mil em serviços de lavagem de carros, o prefeito de Maués, Júnior Leite (Pros) pretende gastar R$ 6,5 milhões com três empresas para prestação de serviços de locação de veículos leves e utilitários, motocicletas, lanchas e outras embarcações.

Anúncio