Ministro rejeita privatização de universidades e defende cotas

Na Comissão de Educação da Câmara dos Deputados, o ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodrígues, afirmou, nesta quarta-feira (27), que as cotas nas universidades permanecerão “enquanto houver desigualdade”

Brasília – Questionado por deputados da Comissão de Educação da Câmara dos Deputados, o ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodrígues, afirmou, nesta quarta-feira (27), que as cotas nas universidades permanecerão “enquanto houver desigualdade”. Segundo ele, depois elas “desaparecerão naturalmente”. Ele também falou que o Fundo de Financiamento Infantil (Fies) e o Programa Universidade para Todos (Prouni).

(Foto: Marcelo Camargo/ABr)

‘Ativismo’

Sob pressão, segundo parlamentares, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), rejeitou, nesta quarta-feira (27), o requerimento para a criação da comissão parlamentar de inquérito para investigar o ‘ativismo judicial’ em tribunais superiores.

Pressão

Os autores da propostas acusam pressões externas de membros do “Supremo Tribunal Federal (STF), empresários e até do Executivo” para esvaziar o pedido.

Protesto

Estudantes da Universidade Presbiteriana Mackenzie realizaram um protesto na manhã desta quarta-feira (27), contra o presidente Jair Bolsonaro. Segundo a organização, mil pessoas estavam participaram do ato.

blank

A ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, empossou, nesta quarta-feira (27), os novos integrantes da Comissão de Anistia e anunciou mudanças no regimento do órgão (Foto: Antonio Cruz/ABr)

 

Anúncio